nsc
hora_de_sc

Festival

Rock in Rio vai permitir manifestações políticas: "Liberdade de expressão", diz CEO

Evento começa no dia 2 de setembro

09/05/2022 - 08h40

Compartilhe

Flávia
Por Flávia Terres
Manifestações podem ser registradas como no Lollapalooza deste ano
Manifestações podem ser registradas como no Lollapalooza deste ano
(Foto: )

O CEO do Rock in Rio, Luis Justo, afirmou a jornalistas que a organização do festival não proibirá manifestações políticas do público durante o evento, que começa no dia 2 de setembro, no Rio de Janeiro. A informação foi divulgada pelo UOL nesta segunda-feira (9). 

> Receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp

Em ano eleitoral, conforme o CEO, as possíveis manifestações que podem acontecer como no Lollapalooza, são vistas como "liberdade de expressão". 

— Não entramos em discussões partidárias, de um candidato ou de outro. O que não impede, obviamente, num ambiente democrático, que pessoas com posicionamentos, como artistas ou público, se manifestem. Isso é inerente à democracia e sempre esteve presente no festival — disse. 

Justo destacou que o festival busca discutir política e explicou nos últimos 37 anos de edições em solo brasileiro, o Rock in Rio fez política. 

— A nossa política é feita, por exemplo, quando falamos da importância da sustentabilidade, e quando construímos um Palco Mundo 100% reciclado. Essa é a nossa maneira. Talvez hoje, situações como aconteceram no Lollapalooza, sejam mais potencializadas. Mas a verdade é que qualquer ambiente público permite que pessoas tenham liberdade de expressão — diz. 

Segundo o UOL, o profissional finalizou citando que o festival se importa com a segurança do público e que as restrições para a pandemia da Covid-19 serão anunciadas perto do início do evento.  

Leia mais: 

TSE proíbe manifestações políticas durante shows do Lollapalooza

Marcelo D2 vai ao STF para derrubar veto a manifestações políticas no Lollapalooza

Partido de Bolsonaro aciona TSE contra atos pró-Lula no Lollapalooza

Colunistas