A cobertura vacinal contra o HPV (Papilomavírus Humano) em Santa Catarina é uma das melhores do país. Dados da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) apontam que o Estado está entre os três com melhor índice de vacinação, e ficou acima da meta para a imunização de meninas entre 9 a 14 anos.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Dados do Ministério da Saúde até 2023 mostram uma cobertura vacinal de 94% para meninas de 9 a 14 anos, o que ultrapassa a meta nacional de 90%. Já no público de meninos da mesma idade, o índice chegou a 75%, sendo a segunda melhor cobertura entre os estados.

A Secretaria de Estado da Saúde atua para elevar esse número e alcançar a meta também no caso dos meninos.

— Esses índices seguem a tendência de boas coberturas vacinais que Santa Catarina sempre teve. Precisamos seguir avançando nas ações para proteger nossas crianças e adolescentes, considerando que a vacina fornece imunidade e é uma importante ferramenta de prevenção do câncer — destaca o secretário de Estado da Saúde, Diogo Demarchi.

Continua depois da publicidade

Vacina em dose única

A partir do mês de abril, a vacina do HPV começou a ser aplicada em dose única, conforme orientação do Ministério da Saúde de órgãos como a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas).

Da identificação do “alvo” aos postos de saúde do país: o caminho de desenvolvimento das vacinas

O órgão federal afirma que o objetivo da mudança é “intensificar a proteção contra o câncer de colo do útero e outras complicações associadas ao vírus”.

O câncer de colo de útero, do qual o HPV é um dos principais causadores, é o terceiro tumor mais frequente na população feminina, e a quarta causa de morte de mulheres por câncer, conforme o Instituto Nacional do Câncer (INCA).

O diretor da Dive, João Augusto Brancher Fuck, explica que essa mudança foi um dos fatores que fez Santa Catarina avançar no índice de vacinação, na contramão de outras vacinas, que têm enfrentado desafios para cumprirem as metas das campanhas.

Continua depois da publicidade

— Estamos falando de adolescentes, um outro público. Além disso, ocorreu uma mudança importante esse ano em relação a HPV, seguindo orientação de organismos internacionais, passando a recomendação de 2 para 1 dose da vacina. Assim, todos os adolescentes que já tinham pelo menos 1 dose da vacina, passaram a ter o esquema completo — João Augusto Brancher Fuck.

Ampliação do público-alvo da vacina contra o HPV

Na rede pública de saúde, o público-alvo da vacina de HPV são meninos e meninas entre 9 e 14 anos de idade. No início desse mês, o Ministério da Saúde ampliou o público para pessoas de 15 a 45 anos que tomam a Profilaxia Pré-Exposição ao HIV (PrEP).

Esse grupo agora também pode se imunizar contra o vírus, e basta somente procurar uma unidade de saúde para tomar a dose. Anteriormente, vítimas de violência sexual dos 9 aos 45 anos de idade e pessoas com Papilomatose Respiratória Recorrente (PRR), a partir dos 2 anos de idade, já haviam sido incluídas no público-alvo.

Vacinação é estratégia eficaz de combate a doenças

Continua depois da publicidade


Leia também

Pessoas de 15 a 45 anos que tomam PrEP serão incluídas no público da vacina contra o HPV

Justiça obriga pais a vacinarem filhas contra a Covid-19 em São Bento do Sul

Destaques do NSC Total