nsc
dc

ELEIÇÕES 2022

SC não tem pré-candidatas ao governo, e apenas um partido estuda lançar mulheres ao Senado

PT não anunciou nomes das possíveis concorrentes ao Congresso Nacional

20/05/2022 - 05h00 - Atualizada em: 20/05/2022 - 08h24

Compartilhe

Catarina
Por Catarina Duarte
Candidatos disputarão vaga única ao Senado
Candidatos disputarão vaga única ao Senado
(Foto: )

O cenário eleitoral em Santa Catarina ainda está indefinido, mas as movimentações apontam para baixa representatividade feminina. Na disputa pelo governo do Estado, não há pré-candidatas mulheres, e levantamento do Diário Catarinense aponta que apenas dois partidos estudam lançar candidaturas femininas ao Senado. 

Receba notícias do DC via Telegram

A pesquisa foi feita com as 12 siglas que têm representação na Assembleia Legislativa de Santa Catarina. Apenas o PT confirmou a intenção de lançar candidatas. Os nomes, no entanto, ainda não foram apresentados pelas legendas.

O PT integra a Frente Democrática, que reúne ainda PSol, PDT, PSB, PCdoB, PV, Solidariedade e Rede. Em abril, as mulheres integrantes desses partidos emitiram uma nota conjunta cobrando representatividade.

“Estamos empenhadas na busca pelo fortalecimento das candidaturas das mulheres do campo progressista nas eleições de outubro e na representatividade delas na chapa majoritária”, diz o texto.

Questionado, o PT respondeu que há nomes de mulheres dentro do partido que podem disputar a vaga ao Congresso Nacional.

As deputadas Luciane Carminatti e Ana Paula Lima e a vereadora de São Miguel do Oeste Maria Tereza Capra estão entre os nomes cogitados.

Retrospecto não é positivo

Em toda a história, Santa Catarina elegeu apenas uma mulher senadora. Ideli Salvatti chegou ao Congresso Nacional em 2003 pelo PT. Ela ficou no cargo até 2011 e depois assumiu o Ministério da Pesca e Aquicultura no governo Dilma Rousseff.

No pleito de 2018, duas mulheres concorreram: a própria Ideli e Miriam Prochnow (Rede). A petista ficou em 5º lugar recebendo 5,15% (336.449 votos). Já Prochnow levou 1,29%.

Ao todo, 14 candidaturas foram apresentadas em 2018. Os senadores Jorginho Mello e Esperidião Amin (PP) foram eleitos.

Para as eleições de outubro deste ano, Luciano Hang era o favorito, mas acabou desistindo. Com isso, a candidatura de Dário Berger (PSB) pela Frente Democrática ao Senado ganhou mais atenção dos partidos. 

Até o momento foram apresentadas as pré-candidaturas de Jorge Seif pelo PL; e dos deputados estaduais Carlos Chiodini pelo MDB e Kennedy Nunes pelo PTB. O ex-governador Raimundo Colombo também é cogitado na disputa pelo cargo.

Eleição para governo de SC não terá mulheres

Nenhum dos partidos deve ter uma mulher como cabeça de chapa ao Executivo estadual. PL, União Brasil e PT não descartam ter candidatas vices, contudo nenhum nome foi anunciado.

Na disputa ao governo do Estado os nomes de Jorginho Mello, Gean Loureiro (União Brasil), Dário Berger (PSB), Décio Lima (PT) e Antídio Lunelli (MDB). O atual governador também vai concorrer à reeleição.

Daniela Reinehr (PL) foi a primeira mulher a eleger-se vice-Ggovernadora no Estado e a primeira a ocupar interinamente o cargo de governadora, de 6 a 17 de janeiro de 2020, durante as férias de Carlos Moisés (Republicanos). Ela deve concorrer à Assembleia Legislativa neste pleito.

Leia também

Atitudes de Bolsonaro deixam partidos atentos a golpe eleitoral e autoridades se calam

Justiça eleitoral mantém direitos políticos de Luciano Hang

Vereador de SC flagrado apalpando bunda de mulher é indiciado; veja vídeo

Colunistas