nsc
santa

Saúde

SC registra segunda morte em humano por febre amarela de 2020; homem morava em Indaial

Pacientes não haviam se vacinado contra a doença

31/03/2020 - 18h47 - Atualizada em: 01/04/2020 - 07h45

Compartilhe

Bianca
Por Bianca Bertoli
Há vacina contra a doença
Há vacina contra a doença
(Foto: )

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) confirmou, nesta terça-feira (31), o segundo óbito por febre amarela em Santa Catarina. A morte aconteceu no último dia 13, em Indaial. O homem de 57 anos não havia se imunizado contra a doença.

Ele morava no bairro Warnow Alto. No dia 11 deu entrada no Hospital Beatriz Ramos com dores na perna, febre e dor no estômago, segundo informações da Vigilância Epidemiológica. Recebeu medicação e foi para casa. No dia 13, com piora nos sintomas, voltou à unidade de saúde. Na noite daquele dia ele morreu no hospital. Após a análise do laboratório, o Estado confirmou a causa.

A primeira morte do ano foi registrada no começo deste mês. A vítima de 42 anos também não era vacinada contra a febre amarela.

Mais 12 casos em humanos

Com as duas mortes, o estado soma 12 casos confirmados da doença em humanos em São Bento do Sul, Jaraguá do Sul, Blumenau (3), Pomerode (2), Camboriú, Indaial (3) e um morador de São Paulo, que esteve em Pomerode.

> Quer receber notícias de Blumenau e do Vale por WhatsApp? Clique aqui e entre no grupo do Santa

Com relação aos macacos, o estado contabiliza 39 macacos mortos por febre amarela. Apenas em Blumenau, oficialmente, são 21 óbitos. Em Pomerode são quatro e Indaial e Gaspar três.

A Secretaria destaca a importância da vacinação contra a febre amarela, única forma de prevenir a doença, e reforça que todos os moradores de Santa Catarina com mais de nove meses sejam imunizados. A vacina é gratuita e está disponível nos postos de saúde.

A doença

A febre amarela é uma doença grave, transmitida por mosquitos em áreas silvestres e próximas de matas. É uma doença de evolução rápida. A contaminação resulta nos seguintes sintomas:

— febre de até sete dias de duração.

— dor de cabeça intensa.

— dor abdominal.

— manifestações hemorrágicas.

— icterícia.

— elevação das transaminases.

Colunistas