nsc
    dc

    Coronavírus

    SC vive situação ‘um tanto quanto preocupante’ com avanço do coronavírus, diz secretário de Saúde

    André Motta Ribeiro concedeu entrevista à NSC TV na manhã desta terça

    30/06/2020 - 08h47 - Atualizada em: 30/06/2020 - 09h10

    Compartilhe

    Por Guilherme Simon
    O secretário de Saúde de SC, André Motta Ribeiro
    O secretário de Saúde de SC, André Motta Ribeiro
    (Foto: )

    O secretário de Estado de Saúde, André Motta Ribeiro, afirmou na manhã desta terça-feira (30) que Santa Catarina vive uma situação ‘um tanto quanto preocupante’, com o avanço da velocidade de transmissão do coronavírus e do número de internações justamente no momento em que inicia o inverno.

    > Confira a evolução da Covid-19 em Santa Catarina

    Em entrevista ao Bom Dia Santa Catarina, da NSC TV, o secretário também enfatizou que possíveis restrições para conter a doença cabem aos prefeitos, e que o governo estadual segue cumprindo o papel de orientador.

    Santa Catarina registra mais de 25 mil casos confirmados de coronavírus e tem 324 mortes pela doença, conforme a última atualização da Secretaria de Estado de Saúde (SES), feita na noite de segunda-feira. O Estado está há 60 dias com registro diário de mortes por Covid-19. 

    O avanço do vírus tem feito cidadas voltarem a enderecer medidas de restrição. A lotação de leitos de UTI também preocupa. Na Capital, Florianópolis, a taxa de ocupação chegou a 85,96% nesta segunda.

    — É um cenário de aumento da velocidade de transmissão do vírus e por consequência disso o aumento do número casos e também de necessidade de internações — disse o secretário de Saúde André Motta Ribeiro.

    — Estamos, sim, num momento de aceleração dessa transmissão, e com concomitância com as doenças de inverno, o que é um tanto quanto preocupante — acrescentou.

    Em diversos momentos da entrevista, porém, o secretário enfatizou que a responsabilidade por possíveis novas restrições é das prefeituras. Ele argumentou que o “o Estado não está autorizando a flexibilização, mas criando normas técnicas para a retomada”.

    — É fundamental que essa decisão seja local porque cada local tem a sua realidade diferente, e ninguém melhor que o gestor local para definir de fato onde precisa atuar mais ou menos — justificou.

    André Motta também afirmou que 100 novos leitos de UTI devem ser ativados em hospitais de Santa Catarina nesta semana. Segundo ele, com isso, a expectativa é de que as taxas de ocupação apresentem melhora.

    — Nós já distribuímos quase 100 equipamentos no Estado, as taxas de ocupação devem se adequar quando esses leitos forem ativados, devem ser ativados essa semana — declarou.

    Ao ser questionado se o governo manterá o cronograma de liberações anunciado em junho, que prevê novas liberações para o começo de julho, o secretário de Saúde voltou a citar a autonomia das prefeituras. Nesta segunda, o Governo de Santa Catarina também autorizou a retomada das aulas em universidades.

    — A gente deve, sim, discutir a nível local a questão do esporte profissional e dessas atividades que foram datadas para o início de julho. Não significa que vai haver liberação. Mas a gente precisa tornar isso de autonomia do gestor local — comentou.

    Leia também

    Criança de 1 ano morre por causa do novo coronavírus em hospital infantil de Florianópolis

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Saúde

    Colunistas