O subtenente da Polícia Militar Alberto Alves dos Santos, que trabalhava na equipe de segurança do candidato ao governo da Bahia ACM Neto (União Brasil), foi morto na terça-feira (26) durante confronto com outros policiais militares em um hotel na cidade de Itajuípe, Litoral Sul do estado.

Continua depois da publicidade

Receba notícias do DC via Telegram

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP) da Bahia, o confronto teve início após os policiais militares irem ao hotel com a informação de que havia quatro homens armados no local. A ação aconteceu em meio à busca da equipe por um assaltante de banco identificado como André Márcio Jesus, o “Buiú”, que rompeu a tornozeleira eletrônica e fugiu.

Chegando ao local, ainda segundo a SSP, dois homens foram abordados e não reagiram, enquanto o subtenente Alberto e o sargento Adeilton Rodrigues D’Almeida reagiram à abordagem, ferindo os policiais. Os dois seguranças de ACM Neto teriam sido socorridos, mas o subtenente não sobreviveu.

O candidato ao governo da Bahia cancelou a agenda da campanha desta quarta-feira (27). “Estamos todos consternados com a morte do sub-tenente Alves e rezando pelo pronto restabelecimento do sargento D’Almeida. Apresentamos nossa total solidariedade com os familiares, e informamos o cancelamento de nossa agenda de hoje. Nesse momento, estamos em luto pelo o ocorrido”, diz o comunicado.

Continua depois da publicidade

Segundo a SSP-BA, antes de chegar ao hotel em Itajuípe, os policiais militares ainda entraram em confronto com um outro assaltante de banco identificado como “Bismark” e um comparsa, que também morreram durante o confronto.

PM diz que vai apurar 

O comandante geral da Polícia Militar da Bahia, coronel Paulo Coutinho, afirmou, por meio de nota, que determinou a apuração do fato.

“Lamentamos o confronto. Estamos solidários às famílias e a determinação é que toda a ocorrência seja esclarecida. As armas foram recolhidas e o local do confronto preservado para a realização de perícia”, declarou o comandante geral da Polícia Militar da Bahia, coronel Paulo Coutinho.

“Chegaram atirando” 

O sargento Adeilton Rodrigues D’Almeida, sobrevivente do suposto confronto, aparece em um vídeo que circula entre policiais afirmando que os colegas militares chegaram ao seu quarto no hotel atirando, ainda enquanto ele dormia.

Continua depois da publicidade

“Só acordei com o barulho de tiro, fui alvejado duas vezes. Alguns policiais entraram, quebraram a janela e a porta, atirando e gritando. Eu falei: ‘sou Polícia’, e ainda assim me alvejaram mais três vezes e me deixaram lá”, conta o segurança de ACM Neto.

O sargento ainda diz que os colegas policiais tomaram sua arma e atiraram, indicando a manipulação de um suposto confronto. Segundo o segurança, depois de uma hora sangrando, sem atendimento, foi levado à viatura.”Ainda assim de uma forma hostil, falando para eu ficar quieto, não abrir a porta”, afirma.

Procurada pela reportagem sobre as denúncias do sargento, a assessoria de imprensa da SSP-BA se limitou a dizer que a Corregedoria da PM-BA vai ouvir o policial sobre o caso.

*Por Pedro Vilas Boas, de São Paulo, para Folhapress

Leia também: 

Presidente do partido de Bolsonaro visita TSE e diz que não há sala secreta

Continua depois da publicidade

Pode votar de bermuda? Veja perguntas eleitorais inusitadas

Destaques do NSC Total