nsc
    an

    Legislativo

    Servidores manifestam contra reforma da Previdência em Joinville

    A Comissão de Legislação da Câmara de Vereadores voltou a analisar os três projetos da reforma. Votação de projeto iniciou na manhã desta quinta-feira

    22/04/2021 - 08h21 - Atualizada em: 22/04/2021 - 08h46

    Compartilhe

    Patrícia
    Por Patrícia Della Justina
    Manifestação dos servidores municipais em frente à Câmara de Vereadores
    Manifestação dos servidores municipais em frente à Câmara de Vereadores
    (Foto: )

    Os servidores municipais realizam uma manifestação durante a manhã desta quinta-feira (22) contra a reforma da Previdência, em Joinville. A Comissão de Legislação da Câmara de Vereadores volta a analisar os três projetos da reforma e, desde as 8h30, deu sequência à votação do projeto. 

    > Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui

    A discussão e votação dos projetos estavam suspensos pela Justiça, mas os projetos foram liberados novamente para a discussão na noite da última terça-feira (20). 

    Os projetos estão na Comissão de Legislação, depois seguem para a Comissão de Saúde e de Finanças. Depois, vão à votação no plenário e, por fim, para a sanção do prefeito. Segundo a prefeitura de Joinville, o ajuste da alíquota e a alteração da idade são as principais adequações necessárias. Com a implantação da reforma, a alíquota de contribuição para a previdência passa de 11% para 14%. Já a idade de aposentadoria passa a ser de 65 anos para homens e 62 para mulheres.

    > Quais as próximas etapas da reforma da Previdência na Câmara de Joinville

    Os servidores, que são contra esse projeto, se reuniram em frente ao Hospital Municipal São José e, na sequência, se deslocaram até a Câmara de Vereadores de Joinville. Estima-se que mais de 200 pessoas tenham participado da manifestação. 

    - Não queremos greve, mas, se for preciso, a gente vai parar tudo. Nós contestamos os pontos da reforma que aumentam o tempo de serviço, diminui o nosso salário, aumento da alíquota que também deixa uma brecha na reforma para depois aumentar mais. A gente já paga bastante e querem que a gente pague mais ainda - defende, em entrevista à NSC TV*, Sônia Foss que é técnica em enfermagem e servidora há mais 17 anos no Hospital São José. 

    > Defensoria quer informações sobre fiscalização de uso da máscara em Joinville

    Além disso, os servidores ainda consideram que o foco da prefeitura deva ser, neste momento, o combate à pandemia. 

    - Esse não é o momento para fazer discussão [sobre a reforma]. Até porque a discussão não acontece por conta da pandemia. Então que o prefeito Adriano retire o projeto para poder dialogar mais para frente - sugere Jane Becker, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Joinville e Região (Sinsej). 

    *Com informações de Raphael Augustus, da NSC TV

    Colunistas