nsc
dc

"Mecanismo Verde"

Servidores da Prefeitura de Florianópolis são alvo de operação contra construções irregulares

Conforme a polícia, secretário municipal está entre os alvos dos mandados de busca. Grupo investigado é suspeito de articular mecanismo de corrupção para viabilizar construções ilegais

05/11/2020 - 07h46 - Atualizada em: 05/11/2020 - 12h30

Compartilhe

Por Guilherme Simon
Operação Mecanismo Verde
Ação foi deflagrada na manhã desta quinta (5) para cumprir 35 mandados de busca e apreensão
(Foto: )

Uma operação da Polícia Civil deflagrada nesta quinta-feira (5) mira um suposto esquema para favorecer construções irregulares em Florianópolis com a participação de empresários, agentes políticos e servidores públicos da Prefeitura da Capital. O secretário da Fazenda, Constâncio Maciel, e servidores da prefeitura foram alvos de buscas.

> Grande Florianópolis volta ao risco gravíssimo para o coronavírus, aponta governo de SC

Foram expedidos 35 mandados de busca e apreensão. Há alvos nas cidades de Florianópolis, São José, Balneário Camboriú e Londrina (PR). A operação é chamada de “Mecanismo Verde” e é realizada pela Delegacia de Repressão a Crimes Ambientais da Deic (Diretoria Estadual de Investigações Criminais). 

Até por volta das 9h30min, as diligências continuavam. A polícia informou que duas pessoas haviam sido presas em flagrante com armas. As prisões ocorreram em Londrina e Florianópolis. Ainda não há mais detalhes sobre as prisões.

Segundo a Polícia Civil, a investigação apura a atuação de suposta organização criminosa, envolvendo construtores civis, agentes políticos e servidores públicos municipais de Florianópolis da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Planejamento e Desenvolvimento Urbano (SMDU), Secretaria Municipal da Fazenda e Fundação Municipal do Meio Ambiente (Floram).

Ainda conforme a polícia, o grupo é suspeito de ter articulado um mecanismo de corrupção para viabilizar as construções irregulares e a ocupação desordenada do solo urbano em Florianópolis.

Entre os crimes investigados são organização criminosa, corrupção, crimes ambientais, parcelamento irregular do solo urbano e crimes contra a economia popular, ocorridos ao menos desde o ano de 2018.

> TCU reduz valor da obra do Contorno Viário e autoriza aumento de pedágio na BR-101

A delegada Beatriz Ribas, responsável pela investigação, confirmou que um dos titulares das secretarias investigadas foi alvo de mandado de busca da apreensão. O mandado foi cumprido na residência dele. A reportagem confirmou que se trata de Constâncio Maciel, responsável pela secretaria da Fazenda. O secretário ainda não havia sido encontrado para se manifestar sobre o assunto até a última atualização dessa notícia.

A delegada também informou o cumprimento de um mandado de busca e apreensão na casa de um ex-vereador. 

— A investigação apura um suposto esquema onde empresários obtinham facilitação com esses servidores e agentes políticos para obtenção de alvarás, não fiscalização das obras. Então era um esquema de pagamento de propinas e benefícios que eles conseguiam junto a esses servidores para conseguir finalizar as obras e não ter a fiscalização devida nesses locais. As secretariais, cada uma na sua função, contribuía para que esses imóveis irregulares fossem finalizados e construídos — declarou a delegada Beatriz Ribas.

Procurada pela reportagem, a Prefeitura de Florianópolis informou em nota durante a manhã que "não houve nenhuma operação dentro de suas dependências e que ainda não tem detalhes sobre o ocorrido há 10 dias de uma eleição municipal."

Operação Mecanismo Verde
Operação Mecanismo Verde é realizada pela Delegacia de Repressão a Crimes Ambientais da Deic
(Foto: )

Leia também

> Eleições 2020: DC e CBN Diário entrevistam candidatos à prefeitura de Florianópolis

> Inquérito para investigar agressão à equipe da NSC TV em Florianópolis é instaurado pela polícia

Colunistas