nsc
dc

Pandemia

Grande Florianópolis volta ao risco gravíssimo para o coronavírus, aponta governo de SC

Região no entorno da Capital é a única de Santa Catarina com a condição mais delicada para a Covid-19, conforme o Estado

04/11/2020 - 10h28 - Atualizada em: 04/11/2020 - 16h15

Compartilhe

Augusto
Por Augusto Ittner
Indicador fez com que região passasse para a cor vermelha na matriz de risco.
Indicador fez com que região passasse para a cor vermelha na matriz de risco.
(Foto: )

A Grande Florianópolis passou do risco “grave” para “gravíssimo” do novo coronavírus, de acordo com o novo mapa divulgado pelo governo do Estado. A região no entorno da Capital é a única de Santa Catarina que está em vermelho, na condição considerada mais delicada da pandemia da Covid-19. 

> Receba notícias de SC por WhatsApp. Clique aqui e saiba como

O Médio Vale do Itajaí (região de Blumenau), Nordeste (região de Joinville), Planalto Norte, Vale do Rio do Peixe, e Xanxerê, passaram do risco “alto” para “grave”. Apenas a Região Oeste melhorou os indicadores, recuando de “grave” para alto”. 

Os dados estão em informativo emitido pela Central de Operações de Emergência em Saúde (Coes). O órgão faz parte da Secretaria de Estado da Saúde (SES), que confirmou as informações na manhã desta quarta (4).

Essa alteração no status de seis regiões força que os municípios em cada uma delas adotem novas restrições. No nível "grave" e "gravíssimo", por exemplo, o ensino presencial e em grupo está suspenso, sendo permitidas apenas as aulas de reforço individual. Cinemas, teatros, museus, casas de show, boates e pubs também devem fechar as portes. Clique aqui e confira o que pode e não pode em cada região.

Situação atual

Gravíssimo: Grande Florianópolis

Grave: Extremo Sul, Laguna, Serra, Foz do Itajaí-Açu, Médio Vale, Alto Vale, Nordeste, Planalto Norte, Vale do Rio do Peixe, Xanxerê e Extremo Oeste.

Alto: Oeste, Alto Uruguai, Meio-Oeste e Carbonífera.

Nenhuma região de SC está em nível "moderado", conforme a matriz de risco do governo do Estado e que leva em conta dados de transmissibilidade do vírus, leitos vagos e aumento de casos ativos de coronavírus em cada região. O mapa de risco (veja abaixo) classifica as regiões em nível gravíssimo (vermelho), grave (laranja), alto (amarelo) e moderado (azul)

Colunistas