nsc
hora_de_sc

Polêmica

Sexo em aula on-line da UFSC: o que pode acontecer com aluno flagrado em cena constrangedora

Punição será avaliada com base em norma interna que prevê suspensão e até mesmo expulsão

19/04/2021 - 05h00 - Atualizada em: 19/04/2021 - 08h29

Compartilhe

Catarina
Por Catarina Duarte
UFSC investiga também se pessoa que publicou o vídeo é estudante da instituição
UFSC investiga também se pessoa que publicou o vídeo é estudante da instituição
(Foto: )

O aluno da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) flagrado fazendo sexo durante uma aula on-line pode ser suspenso ou até mesmo expulso da instituição. A punição ao estudante será avaliada com base em uma norma interna do Conselho Universitário e dependerá do parecer de uma comissão específica. A UFSC também quer identificar o responsável pela divulgação das imagens.

> Receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp

> Enquete BBB 21: quem sai no paredão entre Caio, Fiuk e Gilberto?

O incidente aconteceu na última sexta-feira (16) durante uma aula no curso de Administração. Nas imagens que viralizaram, a professora e demais estudantes ficam constrangidos com a cena e precisam deixar a sala virtual e iniciar outra sessão para dar continuidade a atividade.

A UFSC diz ter identificado o estudante e trabalha para reunir provas e evidências do que classificou como “grave falta disciplinar”. A possível punição ao estudante está prevista na Resolução Normativa nº17. O texto dispõe sobre o regulamento dos cursos de graduação.

A atitude do estudante pode ser punida com advertência, repreensão, suspensão ou expulsão. Segundo o texto, são passíveis de punição atos contra o patrimônio ético, científico, cultural e material da universidade. Atitudes contrárias ao exercício das funções pedagógicas, científicas e administrativas também são suscetíveis a penalidades.

Um procedimento administrativo foi aberto pela universidade. Após a apresentação de uma denúncia escrita, o estudante será notificado. Há um prazo de 48 horas para que o aluno apresente sua defesa para a UFSC após a comunicação.

Caberá ao reitor a avaliação da sanção caso o processo decida pelo afastamento por mais de 30 dias ou pela expulsão do estudante.

Assista ao vídeo:

Em uma nota oficial divulgada neste domingo (18), a UFSC lamentou o ocorrido e prestou solidariedade à professora responsável pela disciplina. Além da punição ao estudante, a universidade apura se a pessoa que vazou o vídeo é aluna da instituição. Caso se confirme, ela também poderá ser punida.

A UFSC suspendeu as aulas presenciais em março de 2020 em meio à confirmação dos primeiros casos de Covid-19 em Santa Catarina. As atividades de ensino foram retomadas na modalidade remota em agosto daquele ano. A universidade emprestou computadores e pagou internet para que todos os alunos tivessem acesso.

Leia a nota na íntegra:

A Coordenação do Curso de Graduação em Administração, a Direção do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) e a Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) da UFSC informam que já estão sendo adotadas as medidas administrativas cabíveis a fim de apurar as responsabilidades de um lamentável episódio ocorrido em uma aula remota de disciplina oferecida a uma turma do curso de graduação em Administração da UFSC.

O estudante responsável pela conduta já foi identificado e deverá ser apurado o ato, no sentido de reunir as provas e evidências da grave falta disciplinar, com base na Resolução Normativa Nº 17/CUn/1997. A depender de parecer de comissão específica, podem ser aplicadas penas de advertência, suspensão ou até mesmo exclusão.

A Coordenação do curso, a Direção do CFH e a Prograd prestam total solidariedade à docente responsável pela disciplina, ao mesmo tempo em que irão requerer a abertura de procedimento para apurar não apenas a conduta do estudante, mas dos responsáveis pela divulgação do vídeo em que está configurada a infração disciplinar.

Além disso, manifestamos nossa absoluta defesa da professora, do curso em todas as suas instâncias e da UFSC, que não têm medido esforços para manter a reconhecida qualidade do ensino e da formação, diante de todas as restrições, limitações e ameaças à universidade pública brasileira.

Leia mais:

Idosa morre na fila de vacinação contra a Covid-19 em Joinville

Pastor que rezou por morte de Paulo Gustavo vai ser processado por homofobia

Torneio de laço com 200 espectadores é encerrado pela polícia em Grão-Pará

Colunistas