nsc
nsc

Pets

Sinais que indicam se o seu cachorro está ou não feliz

Veja como o emocional do pet pode influenciar na saúde física e mental dele

12/04/2022 - 13h00

Compartilhe

Portal
Por Portal EdiCase
Identificando o comportamento de um cachorro feliz
Identificando o comportamento de um cachorro feliz
(Foto: )

Os cachorros são seres capazes de proporcionar enorme alegria aos tutores. Em contrapartida, oferecer momentos felizes a esses animais também é extremamente importante para a saúde mental e física deles, além de melhorar o convívio com a família.

> Receba notícias no WhatsApp

Segundo Mariana Paraventi, médica veterinária e consultora técnica das clínicas Dra. Mei e das lojas Petland, somente água, comida e lugar para dormir não são suficientes para garantir cães contentes. “Assim como nós, eles precisam de estímulos e interações para que se sintam bem e tranquilos”, explica.

Como cachorros felizes se comportam?

Por meio do comportamento do cão é possível identificar se ele está ou não alegre. Conforme explica Mariana Paraventi, um cachorro bem e feliz apresenta apetite regular, sono tranquilo e relaxado, pouco comportamento destrutivo, postura confiante e relaxada, é ativo e tem disposição para brincadeiras.

Sinais de que o seu bichinho de estimação está triste

Por outro lado, ainda de acordo com a médica veterinária, os comportamentos que devem ser vistos como um sinal de alerta para um cão triste ou com outro problema emocional, são: falta de ânimo, muito tempo dormindo, falta ou excesso de apetite, latidos em excesso, comportamentos agressivos com pessoas ou animais, entre outros.

A profissional alerta que “os cães têm comportamentos característicos da espécie, como latir, cavar, farejar e roer. Esses comportamentos só serão um problema se forem em excesso, e deve-se ter cautela na inibição deles”.

> ​Pets: veja como dar banho corretamente em seu cão ou gato

Felicidade e saúde mental

Assim como os humanos, os cães também podem desenvolver problemas mentais. Por isso, “garantir a felicidade do seu cãozinho, de maneira individual e diária, diminui os riscos de alguns distúrbios relacionados à saúde mental”, alerta a médica veterinária.

Ainda de acordo com Mariana Paraventi, um dos transtornos mentais mais comuns em animais é a síndrome de ansiedade da separação. “Podemos observar também outros transtornos relacionados à saúde mental como coprofagia (o ato de comer as fezes), agressividade, lambedura excessiva de membros ou outros locais do corpo (causando feridas chamadas de dermatite por lambedura), automutilação, entre outros”, acrescenta.

> Queda de pelos: veja as causas e como tratar

Interferência na saúde física

A saúde mental do cachorro pode influenciar diretamente na saúde física dele. Mariana Paraventi explica que, além das lesões de pele e ingestão das fezes, “o estresse ou ansiedade causam aumento de cortisol e liberação de adrenalina, que podem estar associados à diminuição da imunidade, taquicardia, aumento da pressão arterial e alterações gastrointestinais”.

*Por Laleska Diniz

Leia também

Conheça os principais cuidados para ter com os pets durante o outono

Confira 5 curiosidades sobre os répteis

Perigos de medicar animais sem a orientação de um profissional

Colunistas