nsc
    santa

    Investigação

    Suposto esquema de fraudes contra a Celesc é alvo de operação policial em SC

    Ação da Polícia Civil deflagrada na manhã desta quinta apura fraudes em processos de indenização por danos de falta de energia com prejuízo estimado em R$ 26 milhões

    10/09/2020 - 09h19 - Atualizada em: 10/09/2020 - 10h53

    Compartilhe

    Por Guilherme Simon
    Operação fraudes contra a Celesc
    Operação “Nicotiana” cumpre sete mandados de busca e apreensão em cidades do Alto Vale do Itajaí nesta quinta
    (Foto: )

    A Polícia Civil deflagrou na manhã desta quinta-feira (10) uma operação que apura suposto esquema de fraudes em processos de indenização por danos de falta de energia elétrica nas cidades de Rio do Sul, Ituporanga, Vidal Ramos e Pouso Redondo, no Alto Vale do Itajaí. O prejuízo às Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc) é estimado em R$ 26 milhões.

    > Vídeo flagra confusão e perigo no trânsito do complexo da Mafisa, em Blumenau

    A operação, batizada de “Nicotiana”, cumpre sete mandados de busca e apreensão, e é realizada pela Delegacia de Estelionatos e Defraudações (DD) da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic).

    Segundo a polícia, o suposto esquema começou a ser investigado em 2019. Agricultores seriam aliciados para ingressar com ações judiciais de indenização por danos decorrentes de falta de energia elétrica, causando prejuízos à Celesc.

    — As investigações apuram a utilização de laudos falsificados em processos indenizatórios contra a Celesc. As investigações apuram ainda prejuízo estimado no valor de R$ 26 milhões, e que esses laudos foram utilizados em cerca de 1.200 processos só no ano de 2020 — afirmou o delegado Pedro Mendes, da Deic.

    Operação fraudes contra a Celesc
    Polícia Civil e Instituto Geral de Perícias (IGP) durante operação na manhã desta quinta
    (Foto: )

    Em nota, a a assesoria da Celesc informou que a empresa continua empenhada em combater ações danosas e contribui com as investigações, que seguem em curso. Ainda de acordo com a nota, os laudos fraudulentos iniciaram em 2015 e podem ter sido utilizados em um número ainda maior de processos indenizatórios.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Polícia

    Colunistas