nsc
dc

Investigação

Suspeitos por envolvimento na morte de Amanda Albach são presos novamente

Os dois já tinham sido presos anteriormente, mas foram soltos por falta de provas

22/01/2022 - 04h00

Compartilhe

Joana
Por Joana Caldas
Uma testemunha descreveu como o crime foi cruel e sem chance de defesa à vítima
Uma testemunha descreveu como o crime foi cruel e sem chance de defesa à vítima
(Foto: )

Os dois suspeitos de envolvimento na morte de Amanda Albach foram presos novamente nesta sexta-feira (21), segundo o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC). Eles foram presos preventivamente, assim como o suspeito que atirou na jovem de 23 anos, que não chegou a ser solto durante o inquérito. As informações são do g1 SC.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Amanda Albach veio do Paraná para Santa Catarina para passar o feriado de 15 de novembro, e foi encontrada enterrada em uma praia de Laguna, Sul do Estado, no dia 3 de dezembro. De acordo com a Polícia Civil, a jovem foi morta a tiros após ser obrigada a cavar a própria cova.

Conforme o MPSC, os suspeitos chegaram a ser presos no início do inquérito mas foram soltos por falta de provas. Os detidos nesta sexta são o irmão e a companheira do envolvido já preso. Eles foram encontrados em Canoas, mesmo local para onde fugiram e foram presos quando o crime aconteceu. 

De acordo com o Ministério Público, a nova prisão foi decidida quando a Polícia Civil descobriu elementos que indicaram que os dois participaram no sequestro, tortura, execução da vítima e ocultação do cadáver dela.

Os celulares dos envolvidos, a divergência entre os interrogatórios dos suspeitos e outros indícios mostraram à Polícia Civil que os três agiram em conjunto, disse o MPSC. A participação de cada um não foi detalhada. 

> Caso Amanda Albach: o que se sabe até agora sobre o crime

Segundo a Promotora de Justiça Gabriela Arenhart, os suspeitos dificultaram as investigações ao fugir para o Rio Grande do Sul e tentarem destruir os próprios celulares. 

Além disso, o Ministério Público do Estado contou que o depoimento de uma testemunha, que afirmou temer os suspeitos, contribuiu para o inquérito. A testemunha descreveu como o crime foi cruel e sem chance de defesa à vítima. 

Com isso, o órgão deve denunciar os três investigados pela morte de Amanda Albach.

A reportagem tentou contato com o delegado Bruno Fernandes, responsável pelo inquérito policial, e não havia obtido retorno até a última atualização.

Leia mais

Amiga desabafa após assassinato de Amanda Albach: "Estou revoltada"

Amanda Albach mandou áudio à família antes de ser assassinada em SC; ouça

Mulher leva mais de 20 facadas e filhos presenciam ataque em SC

Colunistas