nsc
santa

Meme eterno

Taca-le pau Marco Véio: jovem conta que ainda é procurado na web 8 anos após o meme

Marcos Joaquim Martinelli completa 20 anos e conta que vídeo impactou sua vida

09/02/2022 - 09h03 - Atualizada em: 09/02/2022 - 11h32

Compartilhe

Carolina
Por Carolina Fernandes
Redação
Por Redação Santa
Jovem que ficou conhecido pelo meme "Taca-le pau Marco Véio" completa 20 anos
Jovem que ficou conhecido pelo meme "Taca-le pau Marco Véio" completa 20 anos
(Foto: )

O jovem que ficou conhecido no Brasil todo pelo meme "Taca-le pau Marco Véio" completa 20 anos no próximo dia 21. Marcos Joaquim Martinelli contou ao G1 que o vídeo, gravado em 2014, impactou a sua vida, e até hoje as pessoas o procuram na internet. 

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Marcos, que hoje trabalha como programador, em Gaspar, no Vale do Itajaí, virou meme após ele e o primo Leandro Beninca postarem um vídeo de uma brincadeira na fazenda da avó, em Taió. Leandro narra a descida do primo "Marco Véio" no carrinho. 

> Conheça Leandro, o dono da voz no "Taca-le pau, Marcos"

Com 2 mil seguidores no Instagram até esta quarta-feira (9), Marcos conta que muitas pessoas ainda o procuram na internet para saber como ele está após o meme. 

— Sempre aparece alguém perguntando se sou eu mesmo. O meme impactou 100% a minha vida. Hoje, por exemplo, me chamam só de Marco Véio. Sou muito lembrado mesmo após tantos anos — disse. 

> "Taca-le pau, Marcos" vira propaganda para o GP Brasil de F-1

Ele conta que a Vó Salvelina está bem e continua recebendo visitantes no mesmo local onde ele e o primo desceram com o carrinho. 

— Visitamos bastante ela e, no momento de quarentena, ficamos mais afastados, controlando a situação. Ela continua servindo as pessoas que vão lá visitar no morro e para descer com o carrinho — disse.

Leia também

Fruta curiosa pinta as ruas de Florianópolis de roxo; entenda

Imagens mostram cinco situações curiosas na praia de Balneário Camboriú

Vídeo narra perseguição em que jovem é apreendido com armas em Araquari: "Pega e não pega"

Colunistas