nsc
dc

Vendaval

Tempestade de areia atinge cidades de SP e MG e assusta moradores; veja vídeo

Fenômeno é conhecido como haboob e antecede tempestades

27/09/2021 - 14h21

Compartilhe

Maria Eduarda
Por Maria Eduarda Dalponte
Folhapress
Por Folhapress
Dia virou noite depois que cidades foram engolidas por tempestates de areia
Dia virou noite depois que cidades foram engolidas por tempestates de areia
(Foto: )

Uma tempestade de areia atingiu cidades de São Paulo e Minas Gerais na tarde de domingo (26). O fenômeno assustou e impressionou moradores, que compartilharam fotos e vídeos nas redes sociais. As cidades foram engolidas pela poeira, o dia virou noite, e algumas ocorrências, como queda de árvores e energia, foram registradas.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

> Tornado foi causa de destruição no Oeste de SC

A tempestade de areia com fortes ventos atingiu cidades como Uberaba e Frutal, em Minas Gerais, e Presidente Prudente, Franca, Araçatuba e Ribarão Preto, em São Paulo. A nuvem de poeira atrapalhou a visibilidade no trânsito e obrigou comerciantes a fecharem as portas. Muitos moradores relataram a sensação de sufocamento e a dificuldade para respirar.

Nos dois estados, as cidades registraram falta de energia, queda no serviço de internet, de energia e queda de árvores. Depois da nuvem de poeira, relâmpagos, trovoadas e chuvas atingiram as cidades.

Entenda o fenômeno

A tempestade de areia é um fenômeno conhecido em outras regiões do planeta como haboob e costuma ocorrer em áreas secas e com baixa umidade. Acontece quando o ar frio desce em direção ao solo, gerando rajadas de vento em altas velocidades que empurram o ar para baixo e radialmente. Com isso, arrastam a poeira do chão.

> Vento destelha casas e chuva de granizo atinge cidades em SC

Segundo a meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) Andrea Ramos, os dias secos e quentes favoreceram a tempestade de areia. 

— Estávamos com dias muito quentes e secos, o que favoreceu as rajadas de vento que, segundo o aeroporto local de Ribeirão Preto, chegou a 92 quilômetros por hora (km/h). A rajada de vento favoreceu a expulsão da poeira do chão, a onda quente favoreceu o aquecimento, com umidades abaixo de 20%. Então, todo esse ambiente favoreceu esse fenômeno, quando há o desenvolvimento vertical em que a poeira sai do solo e gera essa tempestade de areia — explicou Andrea.

Leia também

Músico morre ao capotar carro e ficar preso debaixo do veículo

Avião cenográfico "pousa" em praia de Floripa para gravar filme

Santa Catarina quer vacinar crianças contra a Covid-19

Colunistas