nsc
an

Investigação

Três médicos são indiciados pela morte de bebê de 8 meses em Rio Negrinho

Laudo apontou incapacidade técnica dos profisisonais, falta de solicitação de exames, além de transporte incompatível

09/11/2021 - 07h55 - Atualizada em: 09/11/2021 - 15h50

Compartilhe

Sabrina
Por Sabrina Quariniri
Inquérito policial foi instaurado em fevereiro deste ano
Inquérito policial foi instaurado em fevereiro deste ano
(Foto: )

Três médicos da unidade hospitalar de Rio Negrinho foram indiciados por homicídio culposo após a morte de um bebê de 8 meses ocorrida no início deste ano. O inquérito policial foi instaurado em fevereiro e foi concluído na segunda-feira (8), com o indiciamento de um homem e duas mulheres que não tiveram os nomes divulgados.

> Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

Conforme a Polícia Civil, ao apresentar febre, vômito, diarreia e desidratação, a criança foi levada ao hospital do município em três ocasiões diferentes e, na última vez, por causa da gravidade da situação, foi encaminhada à UTI em Joinville.

Durante as investigações, a polícia ouviu diversos profissionais da unidade, testemunhas e os pais da criança. Também foram juntados documentos e prontuários médicos, além de um laudo do Instituto Geral de Perícias (IGP).

O perito apontou incapacidade técnica dos profissionais no atendimento para classificar a gravidade do quadro clínica da criança; falta de solicitação de exames ou avaliação de um médico pediatra; além de transporte incompatível diante da gravidade do quadro clínico - deveria ter sido feito com UTI móvel e acompanhamento médico. 

Segundo o perito, “o atendimento prestado foi omisso, caracterizado pela inércia, passividade e descaso em face da gravidade da situação”.

De acordo com o delegado Rubens Freitas, responsável pela investigação, um dos médicos indiciados é de Joinville e outra já havia sido presa em 2014. Na ocasião, ela exerceu a profissão ilegalmente usando o nome de outra médica, já que se formou no exterior e não tinha sido aprovada no teste para homologação do diploma no país.

O inquérito policial seria encaminhado à Justiça nesta terça-feira (9), além de cópia à direção da unidade e ao Conselho Regional de Medicina de Santa Catarina.

CRM-SC diz que tomará medidas cabíveis

O CRM-SC, por meio de nota, informou que, até o momento, o órgão não foi comunicado oficialmente pela Justiça sobre este caso e ressaltou que tomará as medidas cabíveis assim que for contatado. 

"O CRM-SC comunica que não se manifestará sobre as medidas que adotará em respeito ao artigo 1º do Código de Processo Ético-Profissional (Resolução CFM nº 2.145/2016), que resguarda o sigilo processual", finalizou a nota. 

A reportagem também entrou em contato com a Unidade Hospitalar de Rio Negrinho que, através de sua assessoria, informou que também não foi notificado sobre o caso e, por isso, não irá se manifestar em primeiro momento. 

Leia também:

Cachorro é amarrado e abandonado em meio a mata em Barra Velha

Festa termina com duas pessoas mortas após tiroteio em São Bento do Sul​

Homem joga carro contra grupo de pessoas, causa confusão e acaba preso em São Bento do Sul

Quem são as três pessoas que morreram após carro cair em rio de São Francisco do Sul

Jovem tem a cabeça prensada e morre em acidente de trabalho em Araquari

Colunistas