nsc
hora_de_sc

Meio ambiente

Vazamentos de esgoto chegam em praias e prefeitura de Florianópolis multa a Casan

Foram dois vazamentos em dois dias. Um deles, em Coqueiros, já havia sido identificado e consertado no dia interior, afima a Casan.

21/01/2022 - 17h35 - Atualizada em: 21/01/2022 - 17h36

Compartilhe

Gabriela
Por Gabriela Ferrarez
Um dos problemas foi um rompimento na rede de esgoto da Rua Estilac Leal, que chegava à praia de Coqueiros
Um dos problemas foi um rompimento na rede de esgoto da Rua Estilac Leal, que chegava à praia de Coqueiros
(Foto: )

Dois vazamentos de esgoto em Florianópolis, um no bairro dos Ingleses e outro em Coqueiros, levaram a Casan a ser autuada e multada em R$ 900 mil pela prefeitura entre esta quinta (20) e sexta-feira (21). Em nota, a companhia disse que irá recorrer e que os problemas fazem parte da rotina. Ambos os vazamentos geraram infração ambiental, porque estavam chegando às praias. 

> Receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp

De acordo com a prefeitura, no Continente, ocorreu um rompimento na rede de esgoto da Rua Estilac Leal, que chegava à praia de Coqueiros. O problema foi identificado nesta sexta-feira (21), e a capital autuou a Casan por infração ambiental. Em resposta, a Casan disse que o problema foi identificado consertado pela Companhia no dia anterior. 

No bairro do Ingleses, o vazamento tomou proporções maiores e segundo a prefeitura, teve falhas graves. Conforme a Capital, o esgoto era "enorme" e desembocava no rio que chega à praia. O município fiscalizou o local na terça-feira (18), e nesta quinta (20), multou a Casan em R$ 900 mil e advertiu a companhia contratualmente.

"Na ação, foi constatada falha em uma unidade de bombeamento, falha no sistema de gradeamento que evita a entrada de sólidos, e falha grave por inexistência ou inoperância do sistema de bombeamento reserva, dessa forma, não cumprindo condições contratuais", disse a nota.

Em resposta, a Casan explicou que grande parte dos problemas é causado por obstruções de objetos, ligações clandestinas e outros fatores que comprometem as adutoras. Em nota, a Companhia disse que "na rotina diária de trabalho, faz reparos preventivos e também quando há problemas nas redes, tanto de água quanto de esgoto". 

Leia também

Cães encontram mais de 100 tabletes de maconha em ônibus de Florianópolis

Sem se vacinar, atriz Elizangela é internada em estado grave por Covid-19

Polícia investiga assassinato de jovem de 22 anos em Palhoça

Colunistas