O Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais, em 28 de julho, é uma data importante para aumentar a conscientização sobre as hepatites virais e promover ações para prevenir, diagnosticar e tratar essas infecções que afetam milhões de pessoas em todo o mundo.

Continua depois da publicidade

Clique aqui e receba notícias no WhatsApp

Instituída em 2010 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a data foi escolhida em homenagem ao nascimento do renomado cientista e microbiologista dos Estados Unidos, o Dr. Baruch Blumberg, em 1925. Ele se tornou laureado com o Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina em 1976.

Cuidados contra a doença

As hepatites virais, classificadas em A, B, C, D e E, atingem o fígado e causam quadros inflamatórios ou infecciosos. Além disso, a doença também causa danos ao coração. Segundo a OMS, o aumento de ações como vacinação infantil contra hepatite B, prevenção da transmissão do vírus da hepatite B da mãe para o filho, segurança de injeções, redução de danos e testes e diagnóstico, tratamento e cuidados podem ajudar na erradicação da doença.

Consequências da hepatite

As hepatites podem prejudicar a saúde de variadas formas. “Como as hepatites são inflamações crônicas, o organismo passa por uma série de inflamações em diferentes órgãos. O coração, por exemplo, sofre com o endurecimento das artérias, processo denominado aterosclerose, dificultando o fluxo sanguíneo e acarretando aumento das chances da pessoa ter um AVC (acidente vascular cerebral) ou infarto agudo do miocárdio”, afirma o Dr. Rizzieri Gomes, médico cardiologista, focado na mudança do estilo de vida (MEV) de seus pacientes.

Continua depois da publicidade

Veja como combater o ganho de peso após os 30 anos

Duas mãos segurando imagem de um fígado
Casos de hepatites virais no Brasil aumentou no último ano (Imagem: Orawan Pattarawimonchai | Shutterstock)

Sintomas das hepatites virais

O relatório da OMS de 2022 mostra que, por ano, nas Américas, ocorrem 10 mil novas infecções pelo vírus da hepatite B e 23 mil mortes, além de 67 mil novas infecções pelo vírus da hepatite C e 84.000 mortes. Por isso, é importante estar atento aos sinais dessa doença.

Dentre os sintomas das hepatites virais, estão:

  • Mal-estar
  • Cansaço
  • Enjoos
  • Vômitos
  • Tontura
  • Febre
  • Dor abdominal
  • Urina escura
  • Fezes claras
  • Olhos amarelados.

Contudo, na maioria das vezes são infecções silenciosas, que não apresentam sintomas.

Prevenindo as hepatites virais

O Dr. Rizzieri Gomes dá algumas dicas de como prevenir as hepatites virais:

  • Vacinação: a hepatite tipo A e B têm vacinação gratuita no SUS;
  • Hidratação: atenha-se ao consumo de água filtrada, lave bem as mãos e os alimentos;
  • Utilização de preservativos: a hepatite B, por exemplo, pode ser transmitida por meio de relações sexuais. Então, é extremamente importante o sexo com a utilização de preservativos;
  • Precauções na hora de cuidar das unhas, em casa ou no salão: materiais que podem ter contato com o sangue precisam ser higienizados da maneira correta, então recomenda-se que as pessoas tenham muito cuidado ao usar alicates de cutícula e outros materiais, pois podem ser meios para a transmissão da hepatite C. 

É importante lembrar que no Brasil os tipos de hepatite mais comuns são as do vírus A, B e C. O vírus da hepatite D é mais frequente na América do Norte, e o vírus da hepatite E é mais facilmente encontrado na África e Ásia.

Continua depois da publicidade

As doenças causam aproximadamente 1,4 milhões de mortes anualmente no mundo, seja por infecção aguda, câncer hepático ou cirrose associada às hepatites. A taxa de mortalidade da hepatite C, por exemplo, pode ser comparada à do HIV e a da tuberculose.

Por Mariana Paker

Leia também

Alimentos benéficos para a saúde do fígado

Esteatose hepática: 6 dicas para prevenir a gordura no fígado

Hipertireoidismo e hipotireoidismo: entenda as causas e as diferenças e veja como tratar

Destaques do NSC Total