Uma cobra-coral verdadeira chamou a atenção ao vomitar uma cobra-de-duas-cabeças inteira, de aproximadamente 30 cm, em Jaraguá do Sul. Segundo o biólogo que fez o registro, Christian Raboch, a serpente expeliu o animal um dia após aparecer em uma casa e ser resgatada pela Fundação Jaraguaense de Meio Ambiente (Fujama), na última sexta-feira (6).

Continua depois da publicidade

Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

Após a captura, o animal, de 69 cm, foi levado ao Instituto Butantan para extração do veneno e produção de soro antiofídico, de acordo com Raboch, já que é a serpente com o veneno mais forte do país.

Ele conta que, ao trocar a água da cobra, já na sede da Fujama, viu que ela havia vomitado uma cobra-de-duas-cabeças que, apesar do nome, não é considerado uma serpente.

A reação da cobra-coral verdadeira, segundo Raboch, aconteceu devido a um “estresse de captura”.

Continua depois da publicidade

— Quando as serpentes comem algo, geralmente elas ficam pesadas, mais vulneráveis. Quando elas se sentem estressadas, ou quando há alguma ameaça por perto, elas acabam regurgitando aquilo que comeram para ficarem mais leves e poderem fugir — explica.

Confira o vídeo

Casos parecidos

Em outra ocasião, no ano passado, o também biólogo da Fujama, Gilberto Duwe, flagrou outra cobra-coral verdadeira regurgitando uma serpente. O profissional havia resgatado a cobra.

Ele explica que esse instinto de defesa dessas cobras não causa nenhum dano a elas e acontece para tentar fugir rapidamente.

Na época, Duwe chegou a compartilhar o vídeo na própria rede social:

*Sob supervisão de Sabrina Quariniri

Leia também

O que o JEC precisa no Estadual para voltar a jogar a Série D do Campeonato Brasileiro

Paciente de Joinville com câncer terá direito a consulta de urgência, diz Justiça

Carro é flagrado a 178 km/h em rodovia estadual no Norte de SC; limite é de 80 km/h

Destaques do NSC Total