Um lobo-guará foi flagrado por uma “armadilha fotográfica” em Capão Alto, na Serra Catarinense, em um registro que já é considerado muito raro por pesquisadores (veja vídeo abaixo). Presente na lista de espécies sob risco de extinção do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), o animal foi avistado em uma fazenda da empresa de celulose Klabin, que afirma não haver aparição semelhante na região serrana há mais de 70 anos.

Continua depois da publicidade

Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

O flagra aconteceu em julho de 2022, mas o vídeo só foi divulgado nesta terça-feira (31). Mestre em Ciência Ambiental, Max Raffi, que atua no monitoramento ambiental da região por meio da Sumatra Inteligência Ambiental, empresa parceira da Klabin, diz que a ocorrência é um “símbolo da conservação”.

— Foi muito emocionante. Havia muitos rumores do lobo-guará aqui na região, só que nenhum registro oficial — relatou.

O animal foi identificado na Fazenda Capão da Lagoa. O local possui manejo de pínus entremeados a áreas de campos, sendo classificado como uma Área de Alto Valor de Conservação (AAVC) da Klabin. Para Raffi, a presença do lobo-guará no espaço é importante para manter o equilíbrio da cadeia alimentar e para a preservação de árvores nativas.

Continua depois da publicidade

— Ele se alimenta principalmente de pequenos animais, como ratos, anfíbios, até serpentes. […] Tem na sua dieta uma composição de frutos e vegetais, então é um excelente dispersor de sementes, ajudando na renovação da floresta — explica o pesquisador.

Biólogo da Fundação Jaraguaense de Meio Ambiente (Fujama), Christian Raboch vai ao encontro do que diz Raffi e destaca que a aparição é considerada “muito rara”, sobretudo no Sul do país.

Na região serrana de Santa Catarina, existem apenas dois registros oficiais da espécie. Um deles é de Campos Novos, estimado entre os anos de 1930 e 1945, e o outro é dos Campos de Lages, sem data de definida.

Segundo a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o lobo-guará (Chrysocyon brachyurus) é o maior canídeo do América do Sul. Pesa entre 20 e 25 quilos e pode medir até quase 2 metros de comprimento.

Continua depois da publicidade

A pelagem vermelha-dourada, cernelha de coloração preta e pernas longas e finas são algumas das características que o distinguem de outros da sua espécie, que ficou conhecida popularmente como o símbolo do Cerrado.

Veja vídeo do lobo-guará na Serra de SC

Leia mais

VÍDEO: Morador de SC flagra “falso beija-flor” no jardim de casa

VÍDEO: Jacaré resiste a tiros e volta à natureza em Florianópolis após reabilitação

Destaques do NSC Total