nsc
    dc

    Pandemia

    Volta às aulas em Santa Catarina é adiada para agosto: cidades ainda estudam como se adequar

    Novo decreto do Estado estipula a data de 2 de agosto para retorno das atividades em sala de aula

    01/06/2020 - 15h47 - Atualizada em: 01/06/2020 - 19h48

    Compartilhe

    Lucas
    Por Lucas Paraizo

    O novo decreto do governo do Estado que regulamenta as medidas de isolamento contra a pandemia do coronavírus estipula a data de 2 de agosto para a volta às aulas em Santa Catarina. A suspensão vale para todas as redes de ensino (particular, municipal, estadual e federal), além de escolas técnicas e de educação de jovens e adultos (EJA).

    Segundo o governo, o retorno da rede de ensino vai ser debatido a partir de 6 de julho, com base no cenário do covid-19 em Santa Catarina. Na semana que vem, a partir do dia 8 de junho, as atividades presenciais em estágios obrigatórios e aulas práticas em laboratórios de cursos superiores também poderão voltar.

    Com o adiamento, prefeituras das principais cidades catarinenses ainda estudam como será possível a retomada. Como o próprio Estado adiou para julho os debates sobre a volta das aulas, ainda não há nos municípios nenhum cronograma definido ou medidas oficiais para a educação.

    Em Florianópolis, com regras de isolamento mais duras do que as adotadas pelo Estado em alguns pontos, até mesmo os cursos livres (como de idiomas ou formação continuada), que já foram liberados em Santa Catarina, seguem suspensos por causa do coronavírus.

    No Vale do Itajaí, a prefeitura de Blumenau fez na semana passada um encontro com os diretores e coordenadores pedagógicos da rede de ensino para começar a organizar a gestão das unidades quando for possível. A ideia é começar a preparar as equipes para a retomada após meses de isolamento, independentemente da data.

    Em Chapecó, a prefeitura divulgou que na quinta-feira (4) fará uma reunião com todos os setores para debater as estratégias sobre o coronavírus, e a educação também deve estar em pauta.

    Já em Joinville, a prefeitura aguarda mais orientações do Estado para definir o planejamento local. Antes do anúncio desta segunda do governo do Estado, a intenção era liberar as aulas presenciais a partir do final de junho. A estimativa era de que seriam necessários 30 dias para preparar as escolas, incluindo criação de processos de higienização, oferta de equipamentos de proteção, treinamento de professores e demais servidores, entre outras medidas.

    O foco da prefeitura era a liberação das creches, principalmente para os pais trabalhadores terem um local para deixar os filhos. Inclusive o tema foi tratado na visita do governador Carlos Moisés na última quarta-feira. Mas os planos para a retomada alcançavam também outros níveis de ensino.

    Com mais de 9 mil casos confirmados de covid-19 e 143 mortes registradas, conforme a atualização de domingo (31), Santa Catarina ainda vive um momento de crescimento nos casos de coronavírus. Com decretos estaduais em vigor desde meados de março, o Estado passará a ter, pela primeira vez, regras regionalizadas sobre a quarentena a partir da próxima segunda-feira (8).

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Educação

    Colunistas