nsc
nsc

Análise

Com cofre do Estado cheio, Moisés precisa definir legado

Compartilhe

Ânderson
Por Ânderson Silva
22/05/2021 - 05h01
Carlos Moisés da Silva, governador de Santa Catarina
Carlos Moisés da Silva, governador de Santa Catarina (Foto: Secom/Divulgação)

Carlos Moisés da Silva voltou ao cargo de governador de Santa Catarina com uma condição favorável do ponto de vista de entregas futuras. Depois de arrumar a casa em questão financeira nos primeiros dois anos de gestão, ele encontra-se diante de um cofre cheio para investimentos. No próximo um ano e meio, Moisés conseguirá aplicar recursos em diferentes frentes.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Na Educação, por exemplo, o secretário Luiz Fernando Vampiro terá dinheiro sobrando para reformar escolas. Já na Infraestrutura, caberá a Thiago Vieira fazer os investimentos andarem. Mas, acima de tudo, Moisés precisa definir qual será seu legado no tempo que falta de governo.

Com dinheiro a despejar para o avanço do Estado, o governador tem uma missão que é decidir aquilo que ficará como a marca da gestão Moisés. Independemente da escolha por reeleição ou não.

Reformas

Caso opte por não concorrer em 2022, o governador terá uma oportunidade de enfrentar assuntos sensíveis de peito aberto para deixar seu legado. A Reforma da Previdência é uma delas. O texto mexe com diferentes categorias e seria extremamente indigesto para alguém que pensa em reeleição.

Mas não para Moisés, se ele estiver com outros planos. Uma reforma previdência com impactos futuros seria um legado, assim como discutir a Reforma Administrativa. Por outro lado, com entregas e alterações importantes na estrutura de governo, Moisés terá cartas fortes para discutir reeleição.

Muita água

Há ainda bastante a passar por debaixo da ponte das eleições de 2022. Uma fonte do governo lembra que no primeiro governo Raimundo Colombo, o ex-governador teve dois primeiros anos difíceis, mas conseguiu se consolidar no restante da gestão e atingiu a reeleição em 2014 com investimentos.

Moisés tem a seu favor o discurso das mudanças de gestão que deram fôlego para aplicar dinheiro com recursos próprios. O cofre cheio e a disposição política o credenciam a fazer um governo de entregas no próximo um ano e meio. Isso, claro, sem erros e tropeços.

Leia também:

Em Criciúma, prefeito insiste em alunos na escola e governador despista

Moisés volta ao governo de SC após ser absolvido no impeachment dos respiradores

Ânderson Silva

Colunista

Ânderson Silva

Colunista da NSC Comunicação, publica diariamente informações relevantes sobre as decisões que impactam o catarinense, sem esquecer dos bastidores dos poderes. A rotina de Florianópolis em texto e imagens também está no radar da coluna.

siga Ânderson Silva

Ânderson Silva

Colunista

Ânderson Silva

Colunista da NSC Comunicação, publica diariamente informações relevantes sobre as decisões que impactam o catarinense, sem esquecer dos bastidores dos poderes. A rotina de Florianópolis em texto e imagens também está no radar da coluna.

siga Ânderson Silva

Mais colunistas

    Mais colunistas