Pelos menos 11 secretários e gestores do primeiro escalão do governo Moisés vão deixar as funções nesta quinta-feira (31). Eles se desincompatibilizam para concorrer nas Eleições 2022. O prazo eleitoral termina no próximo sábado, dia 2 de abril. No lugar dos que saem, entretanto, o governador Carlos Moisés da Silva (Republicanos) não vai nomear titulares. Todos serão interinos num primeiro momento.

Continua depois da publicidade

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

A estratégia de Moisés é esperar pela acomodação política que vai ocorrer nas próximas semanas. Com a formação de uma coligação que vai trabalhar no projeto de reeleição do governador, a ideia é que as nomeações de titulares para as secretarias ocorram conforme os novos arranjos políticos. Isto abrirá a possibilidade de que os partidos apoiadores da reeleição possam indicar nomes para as pastas.

Até que isso ocorra, os secretários adjuntos vão assumir interinamente as funções. Caso os adjuntos também saiam, diretores ficarão responsáveis por responder pelas secretarias.

Quem sai

As mudanças vão ocorrer em algumas das principais áreas. Entre os que saem estão Luiz Fernando Vampiro (Educação), André Motta (Saúde), Altair Silva (Agricultura), Eron Giordani (Casa Civil), Luciano Bulligon (Desenvolvimento Econômico), Claudinei Marques (Desenvolvimento Social) e Renê Meneses (Santur).

Continua depois da publicidade

Liderança de governo

Na Alesc o governo também não pretende fazer alterações. Uma fonte do Centro Administrativo diz que “Zé Milton continua como líder de governo”. Cogitou-se nos bastidores que a deputada estadual Paulinha (Podemos) fosse assumir a função, mas não é este o plano de Moisés e sua equipe.

Leia também:

Presidente do Brusque, finalista do Catarinense, se filia ao PSD para disputar as eleições

Oficiais da PM deixam postos de comando para disputar as eleições em SC

Moisés faz movimentos para se aproximar do MDB e do PSDB

Destaques do NSC Total