nsc
nsc

Análise

Os dois votos de Moisés: uma derrota do tamanho da inabilidade política

Compartilhe

Ânderson
Por Ânderson Silva
21/10/2020 - 06h59 - Atualizada em: 21/10/2020 - 07h11
Estratégia política de Carlos Moisés da Silva deu errado
Estratégia política de Carlos Moisés da Silva deu errado (Foto: Julio Cavalheiro/Secom)

Carlos Moisés da Silva foi alertado. Por mais de uma vez, pessoas próximas ao governador o procuraram para avisar que seria importante reduzir o distanciamento com a Assembleia Legislativa (Alesc). Moisés relutou, e só abriu os olhos para a importância da relação com o parlamento quando os processos de impeachment se avolumavam. Os dois votos favoráveis ao governador na noite de 20 de outubro de 2020 na denúncia sobre os respiradores resumem a inabilidade política do chefe do Executivo.

Faltou mais do que conversa entre Moisés e os deputados. O erro vem antes disso. O governador nem sequer mostrou-se dispostos a dar o primeiro passo na busca pelo apoio republicano. E aos poucos distanciou-se do Legislativo. Por mais que haja uma discussão do mérito de cada um dos pedidos de impeachment, a falta de articulação interferiu diretamente no futuro dos dois processos aprovados na Alesc.

Upiara: Placar do impeachment mostra que governo Moisés acabou, mesmo que continue

Destaca-se ainda a perda de relevância de um governo já desacreditado. Em 17 de setembro, Moisés recebeu seis votos na votação do impeachment da equiparação salarial dos procuradores. Agora teve dois. A força política já bastante debilitada ficou ainda mais desgastada, principalmente pelo tema envolvido na discussão, que foi a questão dos respiradores e do combate à pandemia.

Renato: Só um milagre salva Moisés e Daniela no Tribunal de Julgamento do impeachment

O resultado contundente na Alesc não significa que o governo errou apenas nos últimos dois ou três meses de tramitação das denúncias. A inabilidade foi construída em um ano e nove meses. O avanço dos impeachments tornaram-se consequência da fragilidade. Uma deficiência que era conhecida do próprio governo, mas foi ignorada.

Ânderson Silva

Colunista

Ânderson Silva

Colunista da NSC Comunicação, publica diariamente informações relevantes sobre as decisões que impactam o catarinense, sem esquecer dos bastidores dos poderes. A rotina de Florianópolis em texto e imagens também está no radar da coluna.

siga Ânderson Silva

Ânderson Silva

Colunista

Ânderson Silva

Colunista da NSC Comunicação, publica diariamente informações relevantes sobre as decisões que impactam o catarinense, sem esquecer dos bastidores dos poderes. A rotina de Florianópolis em texto e imagens também está no radar da coluna.

siga Ânderson Silva

Mais colunistas

    Mais colunistas