Com as melancias se ajustando nas carroças para as Eleições 2022 em Santa Catarina, os três maiores partidos do Estado ainda seguem “na pista”. São eles: MDB, Progressistas e PSDB. Ambos têm o maior número de filiados entre as siglas registradas em terras catarinenses, conforme os dados disponíveis no site do Tribunal Superior Eleitoral (TRE).

Continua depois da publicidade

Receba notícias do DC via Telegram

Os demais também carregam um grande número de filiados, mas todos já se encaminharam para um ou outro caminho na disputa do governo do Estado em outubro. O caso mais recente foi o do PSD, que vai apoiar o ex-prefeito de Florianópolis Gean Loureiro, pré-candidato pelo União Brasil.

Abaixo a situação dos três maiores partidos de SC:

MDB – como escrevi nesta sexta-feira na coluna, os emedebistas vivem um climão e devem ir rachados para a eleição. O partido tem como presidente estadual o deputado federal Celso Maldaner. Ele defende que o ex-prefeito de Jaraguá do Sul Antídio Lunelli seja o candidato da sigla. Por outro lado, mais de 80 prefeitos já declararam apoio ao governador Carlos Moisés da Silva, assim como 8 dos 9 deputados estaduais. A tendência é que a próxima semana seja decisiva para o futuro do MDB em SC.

Continua depois da publicidade

Progressistas – o senador Esperidião Amin é o pré-candidato ao governo do partido. Ele se mantém na briga e não cogita desistir. No entanto, os bastidores indicam que ele possa se aliar ao também senador Jorginho Mello, pré-candidato ao governo pelo PL. Neste caso, o Progressistas indicaria o vice-governador da chapa. Alguns prefeitos progressistas sinalizaram apoio a Moisés, assim como os deputados estaduais Altair Silva e Zé Milton devem fazê-lo. No entanto, caso o MDB esteja ao lado do governador, o contexto histórico de SC deve afastar o Progressistas.

PSDB – os tucanos até tentaram manter nomes como pré-candidatos. Vinícius Lummertz e Leonel Pavan se colocaram na vitrine, mas nenhum deles emplacou. O prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, cogitou a possibilidade de ser vice numa chapa com o prefeito de Chapecó, João Rodrigues, o que não vingou. Salvaro, assim como outros prefeitos do PSDB, já sinalizaram simpatia a Moisés. O governador diz que conta com o apoio do partido para a reeleição. Por outro lado, Gean Loureiro também segue de olho nos tucanos.

Leia também:

Após o MDB, Moisés recebe apoio de prefeitos do PSDB

Pré-candidato ao governo de SC pela esquerda, Dário define prioridades da campanha

Movimentos nos bastidores para as Eleições 2022 mobilizam equipe jurídica de Moisés

Destaques do NSC Total