nsc
    nsc

    Infraestrutura

    Ponte Hercílio Luz: Estado quer parceria com a prefeitura para concessão das cabeceiras

    Compartilhe

    Ânderson
    Por Ânderson Silva
    06/01/2021 - 08h34
    Ponte Hercílio Luz foi reaberta no final de 2019
    Ponte Hercílio Luz foi reaberta no final de 2019 (Foto: Ricardo Wolffenbuttel/ Secom)

    A ideia de concessionar as cabeceiras da ponte Hercílio Luz à iniciativa privada ganhou novo rumo. O desejo foi anunciado pelo governador Carlos Moisés da Silva no final de 2019. Mas, durante 2020, a SCPar, órgão do Estado responsável pelas parcerias e concessões, estudou e concluiu que o modelo não seria vantajoso apenas com as áreas estaduais existentes na região. Ao todo, seriam quatro terrenos. Para aumentar a estrutura do projeto, a SCPar começou conversas com a prefeitura de Florianópolis.

    Ponte Hercílio Luz comprova em um ano que é muito mais do que uma ligação entre Ilha e Continente

    A proposta é incluir áreas municipais na oferta. Uma das opções seria o parque da Luz, na cabeceira Insular. Segundo o diretor-executivo de PPPs da SCPar, Ramiro Zinder, a sondagem de mercado feita no ano passado não foi positiva. Por isso o entendimento de que com a parceria da prefeitura o projeto pode avançar melhor.

    Conversas iniciais com as secretarias de Mobilidade Urbana e Desenvolvimento Econômico já ocorreram. Elas devem avançar neste mês de janeiro. O projeto do governador Carlos Moisés da Silva é de criar um complexo cultural e turístico nas cabeceiras.

    - Queremos criar aqui um ambiente, uma estrutura, que se conecte com a Ponte. Eu sonho com o momento em que investidores façam desta obra um atrativo turístico e cultural ainda maior do que já é, e é isso que buscamos. A partir dessa análise de mercado veremos o que será viável fazer para transformar este espaço e gerar recursos para a manutenção da estrutura - disse Moisés no final de 2019.

    Ponte Hercílio Luz foi palco de projeto especial de música eletrônica

    Foi justamente nesta análise de mercado que a SCPar não enxergou viabilidade no modelo somente com as áreas do Estado. A intenção do governo é fazer espaços com atividades culturais, turísticas, gastronômicas, esportivas, de lazer e de contemplação.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas