nsc
nsc

Investigação

Processo da operação Ave de Rapina aguarda sentença há dois anos

Compartilhe

Ânderson
Por Ânderson Silva
24/09/2021 - 10h13
Operação foi deflagrada em 2014 em Florianópolis
Operação foi deflagrada em 2014 em Florianópolis (Foto: Arquivo NSC Total)

Dividida em duas partes, a operação Ave de Rapina, deflagrada em Florianópolis em novembro de 2014, segue em ritmo lento no Judiciário. Um dos processos, que investiga o contrato dos radares existentes na Capital à época, está pronto para sentença desde junho de 2019. Nestes dois anos, apenas movimentos protocolares foram feitos no processo que tramita na Vara Criminal da Região Metropolitana da Comarca de Florianópolis.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Diante da pandemia da Covid-19, que chegou em março de 2020, muitos do ritos processuais foram adiados no Judiciário. O juiz Elleston Lissandro Canali, responsável tanto pelo processo dos radares como o da Cidade Limpa, deu prioridade para os casos envolvendo réus presos, como determina a lei. Na Ave de Rapina, nenhum deles está nessa condição.

Um exemplo da tramitação morosa são as audiências de instrução e julgamento do processo do Cidade Limpa. Nesse caso, é investigado um movimento de empresários e políticos para barrar o projeto que tramitava na Câmara de Vereadores da Capital para regular propagandas externas na paisagem urbana.

Os investigados e testemunhas seriam ouvidos em 2020, mas por conta da pandemia as audiências foram remarcadas para 2021. Nos últimos dias, entretanto, o juiz adiou mais uma vez as sessões para agosto, setembro e outubro de 2022.

Nos dois processo da Ave de Rapina, os réus são vereadores, ex-vereadores e empresários supostamente envolvidos nos esquemas investigados, tanto no contrato dos radares como no projeto Cidade Limpa.

Leia também:

Caso da professora que não quer se vacinar em SC vai parar no Tribunal de Justiça

Máquinas de bichinhos de pelúcia vão continuar permitidas em SC

Viaturas x gás de cozinha: Moisés e Colombo escancaram a troca de críticas

Vídeo flagra condição precária de 'fábrica' de ecstasy alvo de apreensão histórica em SC

Fiscais de Joinville multam homem em R$ 1,6 mil por vender cocada em terminal de ônibus

Ânderson Silva

Colunista

Ânderson Silva

Colunista da NSC Comunicação, publica diariamente informações relevantes sobre as decisões que impactam o catarinense, sem esquecer dos bastidores dos poderes. A rotina de Florianópolis em texto e imagens também está no radar da coluna.

siga Ânderson Silva

Ânderson Silva

Colunista

Ânderson Silva

Colunista da NSC Comunicação, publica diariamente informações relevantes sobre as decisões que impactam o catarinense, sem esquecer dos bastidores dos poderes. A rotina de Florianópolis em texto e imagens também está no radar da coluna.

siga Ânderson Silva

Mais colunistas

    Mais colunistas