nsc
nsc

Gastronomia

Tete de Moine, o queijo real

Compartilhe

Beto
Por Beto Barreiros
29/04/2021 - 06h00
Girolle
Girolle é esta ferramenta que raspa o queijo em finíssimas lâminas (Foto: Arquivo pessoal)

A tradução de Tete de Moine significa cabeça de monge, em referência aos monges carecas da cidade de Bellelay, na Suiça, os criadores desta preciosidade. Por ser uma verdadeira obra prima, é considerado o queijo Suíço Real, no meio de tantos queijos maravilhosos das montanhas. Seu aroma incrível e seu sabor complexo se destacam dos outros não menos saborosos queijos suíços. 

> Surpreenda com uma receita de abacaxi tropical com camarão

Sua elaboração requer cuidados e controle permanente para manter a tradição. Ele é artesanal e para o seru preparo, um dos segredos é o leite ser levemente cozido. Recebi este da foto do arquiteto suíço Peter Widmer, casado com a arquiteta manezinha Lilian Mendonça, que divide o seu tempo entre lá e aqui. Acompanhou o presente o Girolle, esta ferramenta que raspa o queijo em finíssimas lâminas e deixa liberar toda a explosão dos seus aromas e sabores.

> Champanhe, espumante ou frisante: entenda a diferença entre as bebidas

Beto Barreiros

Colunista

Beto Barreiros

Representante da cultura da Ilha de Santa Catarina, Beto apresenta suas receitas e dá dicas sobre produtos e tendências. Beto é o criador do famoso Box 32, no Mercado Público de Florianópolis.

siga Beto Barreiros

Beto Barreiros

Colunista

Beto Barreiros

Representante da cultura da Ilha de Santa Catarina, Beto apresenta suas receitas e dá dicas sobre produtos e tendências. Beto é o criador do famoso Box 32, no Mercado Público de Florianópolis.

siga Beto Barreiros

Mais colunistas

    Mais colunistas