Os estaleiros de Itajaí e Navegantes – maior polo da indústria náutica no país – formaram um comitê inédito para qualificação de mão de obra. A proposta é manter o ritmo atual de crescimento e competitividade, que fez de Santa Catarina o maior produtor de barcos de lazer no país e o estado que mais exporta lanchas e iates no Brasil.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

O movimento é liderado pelo Sindicato das Indústrias da Construção Naval de Itajaí e Navegantes (Sinconavin), e está em busca de parcerias com o Senai e as secretarias locais de Desenvolvimento Econômico.

– A ideia é fomentar esse assunto e criar um projeto contínuo para atender as necessidades do setor – diz o presidente do sindicato, Paulo Santana Neto.

Imóveis em Balneário Camboriú valorizam quatro vezes mais que a média nacional

Continua depois da publicidade

Com mais de 100 mil empregos gerados, segundo a Associação Brasileira de Barcos e Seus Implementos (Acobar),  a indústria náutica e naval brasileira segue em expansão e registra mais de dois dígitos de acréscimo no faturamento nos últimos anos. A fabricação de embarcações de lazer tem suas especificidades – principalmente nas filiais dos grandes fabricantes de iates de luxo.

É o caso da Azimut Yachts, maior estaleiro de luxo do mundo, que tem em Itajaí o único parque fabril fora da Itália e emprega mais de 500 pessoas na unidade brasileira.

– Há uma alta demanda de profissionais e isso gerou escassez no mercado. Para que os estaleiros continuem a crescer é preciso dar atenção para esse processo de formação, inclusive, com apoio do poder público e instituições voltadas à formação técnica, como o Senai – diz a gerente de Recursos Humanos da Azimut Yachts Brasil, Danubia Emmel dos Santos.

Santa Catarina é hoje responsável por 70% dos barcos de lazer produzidos no Brasil.

Leia também

Quais são os endereços de Cristiano Ronaldo em Balneário Camboriú

Top-20 cidades com metro quadrado mais caro do país passa a ter nova representante de SC

Imóveis usados são bola da vez em Balneário Camboriú e podem valorizar até 100%

Nove cidades de SC têm mais residências desocupadas do que com moradores

Destaques do NSC Total