nsc
    nsc

    Análise

    Enquanto Moisés tenta evitar impeachment partidos já distribuem cargos em futuro governo

    Compartilhe

    Dagmara
    Por Dagmara Spautz
    31/08/2020 - 07h48
    Governador Carlos Moisés
    Governador Carlos Moisés (Foto: Secom SC)

    Há duas visões antagônicas sobre os próximos passos do processo de impeachment do governador Carlos Moisés (PSL). Enquanto, dentro do governo, ainda reina o otimismo e a expectativa de virar o jogo, nos bastidores a turma mais experiente da política garante que o destino já foi traçado. E não será generoso com o governador.

    > Na Justiça, Daniela diz que Júlio Garcia quer impeachment para assumir governo e mudar foro da Alcatraz

    > A relação do impeachment com a Operação Alcatraz

    O principal movimento em direção a esse cenário é a convergência do MDB, que teria se fechado para votar em bloco a favor do impeachment. A possibilidade de dissidentes sempre existe, mas a posição do partido serve como lastro e já não é mais segredo nos corredores da Alesc.

    Um indicativo de que o enredo do impeachment está pronto para o arremate final é que, nos últimos dias, pelo menos dois partidos teriam avançado na distribuição de futuros cargos, contando com uma nova composição no futuro governo. Antes discreta, a movimentação já ocorre quase sem pudores e o debate avançou ao ponto de chegar às vagas de segundo escalão.

    > Como o TJSC pode entornar o caldo do impeachment

    O governo, ainda que esperançoso, reconhece que travar o impeachment antes de chegar ao plenário parece ser uma missão impossível - por isso tem apostado no corpo a corpo com os parlamentares, tentando conquistar os votos um a um. Nesse jogo de interesses, até promessa de vaga no Tribunal de Contas já teria aparecido nas conversas com os deputados.

    Se nada funcionar para o governo, sobrará a Justiça - e a expectativa de que os desembargadores do Tribunal de Justiça, sorteados para julgar o impeachment em caso de afastamento, sejam mais gentis com o governador do que os deputados. 

    Em qualquer cenário, o governo Moisés incorre em dois erros de principiantes. O primeiro é subestimar o adversário. O segundo é confiar na sorte. 

    Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz - NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz​​​

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas