nsc
nsc

Descaminho

Gasolina e gás mais baratos motivam comércio ilegal na fronteira com Argentina em SC

Compartilhe

Dagmara
Por Dagmara Spautz
03/11/2021 - 08h07 - Atualizada em: 03/11/2021 - 16h53
Apreensão de galões de gasolina nesta terça-feira (2), em Dionísio Cerqueira
Apreensão de galões de gasolina nesta terça-feira (2), em Dionísio Cerqueira (Foto: Reprodução)

O preço alto da gasolina e do gás de cozinha no Brasil têm feito aumentar o comércio e transporte ilegal desse tipo de mercadoria na fronteira com a Argentina, no Oeste do Estado.

Somente nas últimas semanas, a Receita Federal apreendeu mais de 2 mil litros de combustível trazidos de forma irregular do país vizinho na região de fronteira, em Santa Catarina e no Paraná. 

Além de proibido, esse vaivém é de alto risco. Vídeos e fotos de apreensões da Receita Federal mostram carros carregados com galões de gasolina e botijões de gás, lado a lado.

Receba notícias do Vale do Itajaí pelo WhatsApp

— São verdadeiros carros-bomba — diz o delegado Mark Tollemache, da Receita Federal em Dionísio Cerqueira.

Chama atenção da fiscalização que não se trata de compra para consumo próprio, mas para revenda no Brasil. Grupos atravessam a fronteira, enchem dezenas de galões com combustível, e depois revendem no mercado paralelo. Já existe uma rede de distribuição, inclusive com ofertas de delivery de gasolina e gás de cozinha “da fronteira” nas redes sociais. Desta forma, os produtos ilegais têm se espalhado para além da região fronteiriça em Santa Catarina.

Queima de fogos do Réveillon em Balneário Camboriú tem recorde de ofertas milionárias

Banhistas invadem área interditada no alargamento da praia em Balneário Camboriú

O que estimula o comércio ilegal é o preço. O botijão de gás argentino está custando entre R$ 25 e R$ 30 – menos de um terço do preço cobrado no Brasil. O litro da gasolina sai por R$ 3 a R$ 3,50, metade do que custa o litro em SC. Diante da demanda brasileira, no lado argentino já se instalaram postos improvisados em que não é preciso nem descer do carro para encher os galões.

Fiscalização

O comércio ilegal de combustível e gás de cozinha já era uma prática comum na região de fronteira com a Venezuela, no Norte do país, devido à diferença de preços em relação ao Brasil. Por lá, também são comuns os acidentes com atravessadores, já que se tratam de mercadorias inflamáveis e perigosas. Isso preocupa os órgãos de fiscalização em Santa Catarina.

Costa Cruzeiros reajusta roteiros com embarque em SC após suspender rotas internacionais

Outro ponto de preocupação dos órgãos de controle é que o transporte dos galões “no varejo” evolua para esquemas mais sofisticados, com adulteração e entrada em grande quantidade para abastecer postos regulares de venda, ludibriando o fisco – ou seja, escapando dos impostos - e enganando os consumidores.

Beto Carrero World faz proposta para comprar Hopi Hari em parceria com outros parques

A Receita Federal deverá seguir em operação concentrada para flagrar o transporte irregular de combustível e gás de cozinha, em parceria com outros órgãos como Exército, Polícia Militar e Polícia Rodoviária Federal. A região de fronteira entre Brasil e Argentina, no entanto, tem pouco efetivo para fiscalização, o que acende o sinal de alerta.

Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz - NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz

Leia mais:

Por que o alargamento da praia em Balneário Camboriú atraiu tubarões

Prédio mais alto da América do Sul tem Neymar, Luan Santana e números recordes em Balneário Camboriú

Polêmico, uso de fuzis por Guardas Municipais chega a SC

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Mais colunistas

    Mais colunistas