A comunicação do governo Lula (PT) cometeu um erro ao “fazer graça” com a ofensiva da Polícia Federal sobre o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Para quem não viu, as redes sociais oficiais publicaram, ainda na quarta-feira (3), um lembrete de que os viajantes precisam estar com as vacinas em dia para certos destinos internacionais – um claro “cutucão” no bolsonarismo.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Ao provocar Bolsonaro, o governo perdeu a oportunidade de ressaltar que o trabalho da Polícia Federal, que incluiu o mandado de busca e apreensão na casa do ex-presidente, levou em conta critérios técnicos, não políticos. De certa forma, deu um ar politiqueiro ao trabalho de investigação. Fez um desserviço ao órgão.

Decisão do TSE sobre Brusque liga o alarme para o senador Jorge Seif

Que os CPFs do PT comemorem uma operação contra seu principal rival político, é do jogo. Que o governo o faça, soa a provocação desnecessária.

Continua depois da publicidade

Deputados do PL discutem e são contidos por outros parlamentares na Alesc

O presidente Lula prometeu, a se eleger, um governo de aliança, de reconstrução. Cada vez que o governo decide responder com gracinhas à oposição, rebaixa o nível do debate público. Pior ainda se o faz por meio dos órgãos oficiais de comunicação. Nos últimos anos, fez falta ao país a institucionalidade. O Brasil precisa voltar a se levar a sério.

Leia também

Cobertura mais cara da Praia Brava custa R$ 50 milhões e fica em prédio que hospedou Gisele

Na Inglaterra, prefeito na lista de prisões da Operação Mensageiro negocia retorno ao Brasil

Audiência de custódia noite adentro e cinco promotores: detalhes da Operação Mensageiro

Vídeo: Bolsonaro diz que sonho de Michelle é morar em SC

Destaques do NSC Total