nsc
    nsc

    Política

    A vez dos militares do Exército no governo Daniela em Santa Catarina

    Compartilhe

    Dagmara
    Por Dagmara Spautz
    26/10/2020 - 18h53 - Atualizada em: 26/10/2020 - 19h04
    Coronel Freibergue, à esquerda, com a governadora Daniela Reinehr
    Coronel Freibergue, à esquerda, com a governadora Daniela Reinehr (Foto: Ricardo Wolffenbuttel / Secom)

    A menos de 24 horas de assumir formalmente o Governo de Santa Catarina, Daniela Reinehr (sem partido) trabalha para garantir 'cara própria' à sua gestão. O que se sabe, até agora, é que os militares das Forças Armadas terão protagonismo. Prova disso é que, entre os conselheiros da governadora, está um oficial da reserva Exército Brasileiro em Brasília, o coronel Freibergue Rubem do Nascimento.

    > Anderson: General do Exército será o chefe da Casa Civil de Daniela Reinehr

    > Saavedra: Em reunião com Daniela Reinehr, deputado trata da Casa Civil e relação do governo com Bolsonaro

    O militar veio a Santa Catarina para acompanhar in loco a votação do Tribunal de Julgamento do Impeachment ao lado de Daniela, na sexta-feira (23). Voltou a Brasília no sábado, mas ela segue mantendo contato com ele para ajudar a estabelecer as diretrizes de governo.

    A governadora de SC conheceu o coronel por meio da deputada federal Carla Zambelli. Os dois foram padrinhos de casamento de Zambelli com o coronel Aginaldo de Oliveira -e ficaram amigos. Freibergue passou a ser um conselheiro próximo para Daniela Reinehr.

    Em janeiro, o coronel veio pessoalmente a Santa Catarina para a entrega de um robô antibomba para a Polícia Militar. Foi recepcionado por Daniela, que era a governadora em exercício.

    Brasília

    Ex-secretário adjunto Nacional de Segurança Pública, durante a gestão do ex-ministro Sérgio Moro, o coronel assumiu, este mês, o comando da coordenação-geral de implantação das escolas cívico-militares no Ministério da Educação (MEC). O oficial também já foi assessor especial do ministro-chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República no governo Dilma, entre 2012 e 2015.

    Nos bastidores, fala-se desde o fim de semana na possibilidade de que ele assuma um papel no governo. Para isso, no entanto, teria que abrir mão do posto em Brasília – o que dificilmente ocorreria. O mais provável é que siga aconselhando a governadora à distância.

    Procurado pela coluna, nesta segunda-feira, o coronel disse que “nada está definido ainda” sobre o governo Daniela. Ele também não quis falar sobre a comitiva que deve vir de Brasília, nesta terça, para alinhar diretrizes de gestão.

    Primeira nomeação

    Coincidência ou não, outro militar das Forças Armadas foi o primeiro nome confirmado pelo novo governo para a Casa Civil, como adiantou o colega Anderson Silva - o general de Brigada Ricardo Miranda Aversa

    Também militar do Exército, o deputado federal Coronel Armando (PSL) foi um dos primeiros a se reunir com Daniela após o resultado do Tribunal de Julgamento do Impeachment, na manhã de domingo, como informou o colega Jeferson Saavedra.

    Ainda que o governo Daniela seja interino – pelo menos por enquanto – sua estadia no comando do Estado interessa ao projeto do Aliança, o partido bolsonarista que ainda não vingou. A gestão tem sido anunciada como a ‘estreia’ do Aliança num governo de Estado.

    Leia também

    “Máfia da toga”: imagens flagram deputado criticando desembargadores em votação do impeachment

    STF nega por unanimidade ação que questionava rito do impeachment em Santa Catarina

    "Não houve uma derrota total", diz Carlos Moisés em primeira entrevista após afastamento

    Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz - NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz​

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas