nsc
nsc

Política

Ozônio e água salgada marcaram reeleição apertada de Volnei Morastoni em Itajaí

Compartilhe

Dagmara
Por Dagmara Spautz
16/11/2020 - 06h55 - Atualizada em: 16/11/2020 - 21h43
Volnei Morastoni, prefeito reeleito em Itajaí
Volnei Morastoni, prefeito reeleito em Itajaí (Foto: Luis C. Kriewall Filho, Especial)

Uma diferença de 3 mil votos separou a reeleição de Volnei Morastoni (MDB) do segundo colocado, Robison Coelho (PSDB), em Itajaí - e sepultou o grande acordo de oposição que tentava derrubar o emedebista do governo. Uma reunião de forças inédita na história recente de Itajaí, que reuniu em torno do antagonista o grupo do ex-prefeito Jandir Bellini (PP), rival histórico do atual prefeito.

> Volnei Morastoni (MDB) é reeleito prefeito de Itajaí

Volnei derrotou Robison em uma eleição mais apertada do que o previsto pelas primeiras projeções, no início da campanha. Bem avaliado antes do início da pandemia, nem a exposição nacional pela distribuição de homeopatia e vermífugo como ‘prevenção’ contra o coronavírus – contrariando as evidências científicas - seguidas do anúncio dos testes com ozônio, abalaram a popularidade do prefeito. Pelo contrário.

> Upiara: MDB, PP, PSD e PSDB elegem 75% dos prefeitos de SC em eleição que freia a onda de 2018

Enquanto Itajaí virou piada internacional, Volnei parece ter lucrado politicamente com a distribuição dos remédios e o anúncio de terapias alternativas. Se não serviu para prevenir a pandemia, como garante a ciência, teve efeito colateral nas urnas.

O prefeito ‘nadava de braçada’ nas previsões quando outro episódio ameaçou tirar dele a reeleição. Um problema na barragem de cunha salina, que evita que a água do mar se misture à captação, deixou a água salgada nas torneiras de Itajaí e Navegantes por mais de 20 dias.

Foram três semanas de chuveiros queimados, choques elétricos, e água que não podia ser bebida nas torneiras – o que mexeu com o humor do eleitorado.

Internamente, as curvas começaram a inverter. Robison teve uma rápida subida nas intenções de voto na reta final da campanha, enquanto Volnei desceu. Às vésperas da votação o cenário era incerto, e isso se confirmou com a margem pequena de diferença.

A reeleição é histórica para Morastoni. Em seu primeiro mandato como prefeito de Itajaí pelo PT, em 2008, com a máquina na mão, ele foi derrotado nas urnas por Jandir Bellini. Ao se reeleger neste domingo, Volnei Morastoni derruba um tabu. 

Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz - NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz​

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Mais colunistas

    Mais colunistas