nsc
nsc

Saúde

SC tem suspeita de ‘fura-filas’ da vacina contra Covid-19

Compartilhe

Dagmara
Por Dagmara Spautz
22/01/2021 - 19h18 - Atualizada em: 23/01/2021 - 10h26
Suspeita de fura-filas em Santa Catarina
Suspeita de fura-filas em Santa Catarina (Foto: Tiago Ghizoni, Arquivo)

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) notificou as prefeituras de Bom Jardim da Serra, São Joaquim e Urupema, na Serra Catarinense, para que informem como é feito o controle de vacinação contra a Covid-19. O procedimento foi instaurado depois que surgiram suspeitas de ‘fura-filas’ em pelo menos uma cidade na região.

> Anvisa aprova uso emergencial de novas doses da CoronaVac feitas no Brasil

> Vacinas da AstraZeneca podem ser distribuídas aos estados neste sábado, diz Bolsonaro

O pedido de informações é da promotora de Justiça Rafaela Bergman. Ela pede que cada prefeitura informe semanalmente quem foram os vacinados, quando, e a qual grupo prioritário de imunização pertencem.

Neste sábado (23), o prefeito de Urupema, Evandro Frigo Pereira, publicou um vídeo nas redes sociais em que afirma que as doses recebidas pelo município foram distribuídas aos trabalhadores da saúde e não há suspeita de fura-filas no cidade.

> Astrazeneca e CoronaVac: as diferenças entre as vacinas da covid-19 em SC

TCE pede controle

Nesta sexta-feira (22) o Tribunal de Contas do Estado (TCE-SC) entrou no assunto, e pediu à Secretaria de Estado da Saúde que informe como é feito o controle das doses – a divisão entre 295 municípios, os critérios para definição de prioridade e como é feito o acompanhamento.

O TCE orienta o Estado a identificar algum mecanismo que permita um controle das doses, garantindo inclusive a aplicação da primeira e da segunda etapa do imunizante no prazo correto. Os muncípios também terão que responder a questionários eletrônicos emitidos pelo Tribunal. Além das vacinas, o TCE questiona sobre os estoques de oxigênio.

- O TCE vai zelar pela observância dos critérios de prioridade e pelo cumprimento dessas regras, a fim de evitar que pessoas que não se enquadrem como prioritárias sejam vacinadas antes daquelas que de fato têm prioridade. Nossa atuação preventiva é para evitar situações lamentáveis como as registradas em outros Estados, que, inclusive, tiveram que suspender a vacinação por não haver respeito a esses critérios – disse o presidente do TCE/SC conselheiro Adircélio de Moraes Ferreira Júnior.

Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz - NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz​

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Mais colunistas

    Mais colunistas