nsc
nsc

Covid-19

"Conforme a vacina, eles recusam", observa comandante da PM no Sul de SC

Compartilhe

Denis
Por Denis Luciano
04/06/2021 - 08h25
PMs de cinco municípios do sul abriram mão da vacina
PMs de cinco municípios do sul abriram mão da vacina (Foto: Divulgação)

Recente levantamento da NSC apontou que 163 policiais militares recusaram-se a tomar a vacina contra a Covid-19 em Santa Catarina. Cinco municípios integrantes da 6ª Região Policial Militar (RPM), que compreende Criciúma, Araranguá e outras 25 cidades do sul estão na lista das que contam com policiais que abriram mão dos imunizantes. Os policiais na região foram vacinados entre os dias 27 de maio e a última quarta-feira (2).

Mais de 160 policiais militares recusaram vacina contra Covid em SC

– Tem alguns que se recusam, assinam um termo. E tem aqueles que chegam na fila e perguntam qual é a vacina. Conforme a vacina, eles recusam – conta o coronel Evandro Fraga, comandante regional da PM. Conforme os relatos de muitos policiais, há entre a corporação uma preferência pelas vacinas da Pfizer, em detrimento da AstraZeneca e Coronavac. Não é o caso do próprio comandante, que se imunizou logo que a vacinação foi disponibilizada.

Receba as principais notícias de SC pelo Whatsapp

Os policiais que assinaram termos abrindo mão das vacinas no sul catarinense estão lotados nas cidades de Nova Veneza, Cocal do Sul, Içara, Maracajá e Praia Grande. – São locais de efetivo não tão numeroso. Não temos enfrentado problemas em relação à contaminação – avalia Fraga. – Tivemos dificuldades em dois momentos, em junho e em novembro, com mais casos – refere.

Em novembro, a regional sul da PM precisou colocar em prática um esquema de contingência para garantir as escalas. – Os policiais de expediente foram empregados no serviço operacional, e começamos a contingência com redução de alguns locais de policiamento e ampliação do trabalho remoto – explica o comandante. – No momento a situação está tranquila em relação a afastamentos. Chegamos a ter policiais internados, mas não em estado de intubação – observa. – Tivemos um policial que, possivelmente em decorrência da Covid, apresentou necessidade de afastamento e está sendo acompanhado por fisioterapeuta – emenda.

Associação de Praças faz apelo para que policiais se vacinem

Alesc quer informações

O assunto chegou à Assembleia Legislativa (Alesc). O deputado estadual Rodrigo Minotto (PDT) encaminhou, na última quarta-feira (2), um pedido de informação à Secretaria da Segurança Pública solicitando os dados da vacinação e da Covid entre os policiais militares.

– Nosso papel é apurar oficialmente esses dados para, em seguida, propor ações – comenta. – Causa preocupação essa informação, estamos tratando de uma doença terrível – pondera o parlamentar.

No pedido, Minotto requer informações sobre a quantidade efetiva de PMs que assinaram o Termo de Recusa, os seus nomes e onde estão lotados, bem como o número de acometidos pela doença e quantos faleceram.

MP deve analisar casos de PMs que se recusaram a tomar a vacina contra a Covid em SC

Conforme os dados apurados pela NSC, são 2.426 policiais militares contaminados, algo em torno de 4,6 mil afastamentos e três mortes.

Leia também:

Um mês após ataque, Saudades reforça segurança e tenta recomeçar

Quais os próximos passos da vacinação contra Covid em SC

Brasil vai receber dos EUA doses de vacinas que sobraram

Denis Luciano

Colunista

Denis Luciano

Jornalista com longa experiência no rádio e no digital, Denis Luciano aborda os principais assuntos do Sul catarinense, uma das regiões mais relevantes no Estado.

siga Denis Luciano

Denis Luciano

Colunista

Denis Luciano

Jornalista com longa experiência no rádio e no digital, Denis Luciano aborda os principais assuntos do Sul catarinense, uma das regiões mais relevantes no Estado.

siga Denis Luciano

Mais colunistas

    Mais colunistas