nsc
nsc

Operação Benedetta

Prefeito de Urussanga, no sul de SC, é afastado do cargo

Compartilhe

Denis
Por Denis Luciano
20/05/2021 - 14h13 - Atualizada em: 20/05/2021 - 14h17
Gustavo Cancellier, prefeito afastado de Urussanga
Gustavo Cancellier, prefeito afastado de Urussanga (Foto: Divulgação)

Tem troca de prefeito nesta quinta-feira (20) em Urussanga, no sul do estado. Luis Gustavo Cancellier (PP) está afastado por até 180 dias por conta das investigações da Operação Benedetta, deflagrada pela Polícia Federal (PF). Com isso, o vice-prefeito Jair Nandi (PSD) assume o comando do município interinamente.

— Fomos comunicados pela manhã. O vice toma posse nesta tarde — confirma o vereador Oduvaldo Bonetti (PP), presidente da Câmara.

> Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Gustavo foi informado pela manhã que, por decisão da Justiça, não pode frequentar a prefeitura enquanto as investigações prosseguirem. Além dele, estão afastados dos seus cargos a chefe de gabinete e uma contadora que, da mesma forma, não podem acessar a sede do Executivo. O prefeito afastado ainda não se pronunciou.

Vice assume e presta solidariedade ao prefeito

O vice-prefeito, e agora prefeito interino, Jair Nandi, manifestou-se por nota oficial. Nela, Nandi refere que assume por determinação do Tribunal Regional Federal (TRF 4) e que "o município está colaborando com a Justiça". Nandi pede, ainda, cautela e serenidade "para que os fatos sejam apurados" e presta solidariedade ao prefeito. Confira:

Comunicamos que a partir de hoje, assumo a Administração Municipal de Urussanga, cumprindo o que estabelece a Lei Orgânica do Município, e em função de determinação legal do TRF4, substituindo o prefeito Luiz Gustavo Cancellier. Estamos, no primeiro momento, acolhendo a determinação legal e cumprindo com medidas solicitadas em ofício, pelo Tribunal. O município de Urussanga está colaborando com a Justiça e oferecendo todos os documentos solicitados, nesse momento, para o completo esclarecimento do caso. Neste momento, destacamos que é necessário cautela e serenidade para que os fatos sejam apurados, antes que julgamentos sejam decretados e por isso nos colocamos na condição de cumprir com as determinações legais e fazer com que as pessoas de Urussanga permaneçam recebendo os serviços que precisam. Quanto ao prefeito Gustavo Cancellier, prestamos a nossa solidariedade e confiança em sua conduta como gestor, pois nesse tempo em que estivemos trabalhando juntos, nesta gestão, não encontro nele nenhuma postura que indique práticas ilícitas. Enquanto estivermos à frente do Executivo Municipal, nosso compromisso será o de manter a ação efetiva de busca por obras e ações que beneficiem o município de Urussanga, no mesmo ritmo e assertividade que vem sendo realizado nos últimos anos. No momento em que os fatos se esclarecerem, haveremos de levar à população de Urussanga, todas as informações que sejam importantes para o entendimento desse momento. Acime de tudo A Administração Pública de Urussanga e seus agentes públicos afirmam acreditar e confiar no trabalho da Justiça. Jair Nandi, Prefeito Municipal

"Estamos no escuro aqui"

— Não tive contato com o prefeito ainda. Ele deve estar com os advogados dele vendo a situação. Havia algumas denúncias, mas elas foram feitas pela oposição, na véspera da eleição. Daí sempre dissemos que era preciso analisar os fatos. Assim foi feito. A Polícia Federal veio, apanhou os documentos e o processo segue — observa o presidente da Câmara. 

O vereador Bonetti tentou acessar o processo. — No ofício encaminhado pela PF, veio o número do processo, é a única informação que temos. Tentamos acessar o processo, mas ele corre em segredo absoluto de Justiça. Estamos no escuro aqui, sem muita informação. Todos foram pegos de surpresa — pondera o vereador, que é do mesmo partido do prefeito afastado.

PF investiga desvios e superfaturamento

A investigação busca apurar possíveis desvios de recursos na contratação de obras de pavimentação de vias públicas de Urussanga, feitas sob contratos com a Caixa Econômica Federal. A apuração partiu de uma denúncia de superfaturamento no custeio das obras e também na contratação de maquinários. Estima-se que pelo menos R$ 300 mil tenham sido desviados.

A medida de proibição de acesso à prefeitura foi esendida, também, para um ex-fiscal do município, um ex-secretário de Obras e um familiar do prefeito. A PF apreendeu o carro da primeira-dama e mais de R$ 80 mil em residências de envolvidos nas denúncias em Urussanga.

Viaturas da PF em Urussanga na manhã desta quinta
Viaturas da PF em Urussanga na manhã desta quinta
(Foto: )

Na operação desencadeada pela manhã, com a presença de 75 policiais federais, foram cumpridos 18 mandados de busca e apreensão em Urussanga, Criciúma, Siderópolis, Orleans e Tubarão.

Leia também:

UFSC divulga lista de aprovados no vestibular 2021

BR-285 pronta ainda em 2021, garante ministro da Infraestrutura

Por ordem da Justiça, paralisação de servidores é suspensa em Criciúma

Denis Luciano

Colunista

Denis Luciano

Jornalista com longa experiência no rádio e no digital, Denis Luciano aborda os principais assuntos do Sul catarinense, uma das regiões mais relevantes no Estado.

siga Denis Luciano

Denis Luciano

Colunista

Denis Luciano

Jornalista com longa experiência no rádio e no digital, Denis Luciano aborda os principais assuntos do Sul catarinense, uma das regiões mais relevantes no Estado.

siga Denis Luciano

Mais colunistas

    Mais colunistas