Florianópolis

publicidade

Eduarda Demeneck

Eduarda Demeneck

Eduarda Demeneck

Os principais acontecimentos de Lages e região.

Eduarda Demeneck

Debate na Udesc em Lages alerta sobre relacionamentos abusivos

Por Eduarda Demeneck

18/08/2018 - 02h05

Um piquenique abrirá espaço para debates e discussões sobre o feminismo neste fim de semana em Lages. Chamado de 1º Piquenique Vem Com as Mina, o evento é promovido pelo Coletivo Feminino da Universidade Federal do Estado de Santa Catarina (Udesc), que liberou o campus para a realização do projeto. No local, ocorrerão rodas de conversa e de violão, oficina de defesa pessoal e bazar de roupas e artesanato. Com o tema “Precisamos falar sobre relacionamento abusivo”, a psicóloga e policial civil da Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (Dpcami), Caroline Kraid Pereira, irá conversar com as mulheres sobre o assunto. Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado, no ano passado Santa Catarina registrou 49.359 casos de violência contra as mulheres. Florianópolis, Joinville e Blumenau lideram o ranking de casos. Segundo a aluna Giovana Reali Stuani, coordenadora do Coletivo Feminino CAV/Udesc, essa é mais uma ação do grupo para tentar mostrar às mulheres que é preciso saber identificar o relacionamento abusivo, já que infelizmente esse é um assunto que está em alta, com tantos casos de feminicídio acontecendo no país.  O evento é gratuito para toda a população. – Normalmente só conseguimos reconhecer relacionamentos abusivos quando sai, ou quando consegue sair. A gente vê a necessidade de falar sobre esse assunto até para entender o que é um relacionamento abusivo. Saber o que fazer se alguém estiver passando por essa situação, para quem denunciar – explica Stuani. A roda de conversa será aberta ao público, e a oficina de defesa pessoal será realizada só para mulheres.   Leia outras publicações de Eduarda Demeneck

Continuar lendo
(Vani Boza, Agencia RBS)

CDL pode operar o estacionamento rotativo em Lages

Por Eduarda Demeneck

17/08/2018 - 05h10

A Câmara de Dirigentes Lojista (CDL de Lages) entregou nesta semana uma proposta à prefeitura para gerenciar e operar o estacionamento rotativo em Lages. A chamada Área Azul está há um ano sem funcionar, depois que a prefeitura suspendeu o serviço para contratar uma empresa para administrar o sistema. Segundo o diretor-executivo da entidade, Jhonathan Silva, a intenção é que tudo seja contrato pela CDL, desde os funcionários até o sistema em que a cobrança funcionará. – A gente propôs uma tecnologia onde, por exemplo, a pessoa pega o carro e vai estacionar no centro da cidade, ela vai comprar os créditos via aplicativo ou nos pontos conveniados. O agente nem venderia as horas, só faria o monitoramento do rotativo – explica Silva. De acordo com o consultor da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas, Makário Luiz Orozimbo, essa possibilidade pode ser viabilizada por meio da Lei nº 13.019/2014, que dispõe sobre parcerias entre a administração pública e as organizações da sociedade civil (Redação dada pela Lei n° 13.204/2015). – No Estado de Santa Catarina, cidades como Gaspar, Brusque e Blumenau estão em fase implantação desse modelo de negócio – gestão, operação e fiscalização. Compreendemos que essa é uma oportunidade de estabelecer novas relações entre o poder público, lojistas e consumidores. Visto a necessidade do Município, pretendemos apresentar uma solução legal, ágil e moderna – comenta Makário. A proposta está sendo estudada pela administração municipal, mais reuniões devem ser realizadas até que se defina se o estacionamento rotativo ficará a cargo da CDL de Lages.   Leia outras publicações de Eduarda Demeneck

Continuar lendo
Foto: Marleno Muniz/Prefeitura de Urupema

Urupema conquista selo nacional por potencial turístico

Por Eduarda Demeneck

16/08/2018 - 11h21

Baixas temperaturas garantem a Urupema selo nacional que financia projetos em cidades com potencial turísticoUrupema conquistou na última quarta-feira um feito cobiçado por qualquer cidade que tenha a ambição de se destacar no setor turístico, o selo +Turismo. Concedido pelo Ministério do Turismo, a classificação faz parte do Programa Nacional de Desenvolvimento e Estruturação do Turismo (Prodetur).

Continuar lendo
Crédito: Maisa Borges de Freitas

Jovens têm oportunidade aprendizado fora da sala de aula em São Joaquim

Por Eduarda Demeneck

16/08/2018 - 05h25

Mais uma vez alunos da escola da EEB Padre Antônio Vieira, de Anita Garibaldi, puderam aprender na prática um pouco da história da região serrana, em visita a vinícola de São Joaquim, terça-feira. O passeio faz parte do projeto “História & Vitivinicultura”, idealizado e coordenado pelo professor Gil Karlos Ferri. O projeto, que começou em 2015 e deve se encerrar esse ano, tem por objetivo ensinar a história regional com a realização de saídas de campo, nas quais os alunos conhecem os empreendimentos vinícolas e aprendem sobre aspectos históricos e socioeconômicos da serra catarinense. Segundo o professor, ele deve encerrar o projeto para se dedicar a outras atividades. Nesta última visita, foi à vez dos alunos do 7º ano. Os jovens puderam conhecer o empreendimento e como ele funciona. – Ao final, fizemos uma confraternização para os alunos com lanche e suco de uva integral, e brinde para os convidados, para marcar o encerramento de mais um evento do projeto, que é referência nacional em inovação do ensino, pesquisa e extensão – destaca o professor. Em todo esse período, 525 alunos da escola pública puderam conhecer as vinícolas da serra catarinense, onde os vinhos produzidos estão entre os melhores do país.   Leia outras publicações de Eduarda Demeneck  

Continuar lendo
(Marco Favero / Diário Catarinense)

Produtores de mel de Santa Catarina participam de qualificação 

Por Eduarda Demeneck

15/08/2018 - 05h00

Desde semana passada, uma jornada técnica de apicultura está percorrendo as regiões produtoras de mel em Santa Catarina. O projeto, iniciado em 7 de agosto, já passou pelas regiões de Chapecó, Campos Novos e Orleans, e chega a São Joaquim. Até amanhã, técnicos da Epagri da Serra e do litoral e produtores de mel participarão de palestras e discussões sobre a atividade. São seminários e cursos para qualificar o setor, que vem se desenvolvendo no Estado. Em seis anos, a produção de mel subiu de 3,5 mil toneladas para 6,5 mil toneladas. Santa Catarina é hoje o terceiro maior Estado em produção, com cerca de 8 mil e 700 famílias trabalhando na produção, sendo que 80% delas têm na apicultura a principal fonte de renda. Na Serra Catarinense além de produzir o mel, a abelha tem um papel importante na polinização de frutas como a maçã e a uva. E os apicultores estão conseguindo mais uma fonte de renda através do empréstimo de colmeias em pomares no período de polinização. Saber explorar o que abelha pode dar de melhor é um dos objetivos dos seminários. Na Jornada estão sendo oferecidos encontros, palestras, visita técnica em empresas e um consultor do Sebrae estará à disposição para orientar os profissionais da área. O evento está sendo realizo pelo  Serviço de Apoio Às Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina (Sebrae/SC), a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) e a Federação das Associações de Apicultores e Meliponicultores do estado. (Faasc)    Programação: São Joaquim O quê: Curso para apicultores líderes Quando: 15 de agosto, das 8h às 17h30min Onde: Centro de Treinamento da Epagri de São Joaquim _ Cetrejo   O quê: Seminário regional de apicultura para 100 produtores Quando: 16 de agosto Onde: Centro de treinamento da Epagri de São Joaquim _ Cetrejo   Tubarão O quê: Seminário regional de apicultura para 120 produtores Quando: 17 de agosto Onde: Centro de treinamento da Epagri de Tubarão _ Cetuba   Canelinha O quê: Seminário regional de apicultura para 300 produtores Quando: 18 de agosto Onde: Centro Cultural, Social e Recreativo Arthur Adolfo Jachowicz, Av. Joaquim José de Santana, Centro   Agronômica O quê: Seminário regional de apicultura para 120 produtores Quando: 20 de agosto Onde: Centro de Treinamento da Epagri de Agronômica – Cetrag   Leia outras publicações de Eduarda Demeneck

Continuar lendo

Médicos e políticos investigados por fraude no SUS são liberados em Caçador

Por Eduarda Demeneck

14/08/2018 - 04h35

Foram liberadas na sexta-feira as sete pessoas acusadas de fraudar a fila do SUS, presas temporariamente no início do mês no presídio de Caçador, durante a Operação Emergência deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate as Organizações Criminosas (Gaeco), por meio do Ministério Público (MP). Entre os detidos estão médicos, um vereador de Caçador e o ex-assessor parlamentar Selmir Bodanese, acusado pelo MP de ser o principal articulador do esquema, e a mulher dele. Na decisão, o desembargador Carlos Alberto Civinski afirma que por enquanto não há motivos para decretar a prisão preventiva, e que não existem relatos que os investigados tenham tentado contato ou pressão com as testemunhas e vítimas.  Segundo as investigações, os envolvidos recebiam dinheiro para fraudar o sistema de regulação, transformando cirurgias eletivas, aquelas que não envolvem risco de morte, em cirurgias de emergência. Dessa forma, quem pagava ao grupo furava a fila de todos os outros que esperavam honestamente pelo procedimento. A investigação apurou que a maioria das cirurgias acontecia no hospital Maicé, de Caçador. Em nota, a direção geral do hospital disse que está auxiliando nas investigações para apurar as responsabilidades. Ao todo, nove pessoas foram presas temporariamente na operação. Na semana passada, o diretor do hospital e um médico que estavam envolvidos foram soltos. Com isso, todos os investigados da operação Emergência passam a responder o processo em liberdade, mas não podem ter contato com as testemunhas e precisam se apresentar em juízo a cada 30 dias. O advogado Johny Marcos Tibes de Souza, que defende o ex-assessor parlamentar Selmir Bodanese e a esposa dele, afirma por meio de nota “que não há qualquer prova que aponte para a conduta delituosa imputada aos acusados, aguardando a conclusão das investigações para saber se será oferecida denúncia pelo MP ou o arquivamento do procedimento, em razão da ausência de provas".   Leia outras publicações de Eduarda Demeneck

Continuar lendo

Investigados na Operação Emergência são liberados em Caçador

Por Eduarda Demeneck

13/08/2018 - 11h27

Foram liberadas na sexta-feira (10) as sete pessoas que estavam presas temporariamente no presídio de Caçador. Elas foram presas no início desse mês na Operação Emergência, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate as Organizações Criminosas (GAECO), através do Ministério Público, que apura fraude para furar a fila do SUS.

Continuar lendo

Serra catarinense se destaca na produção de cerveja artesanal

Por Eduarda Demeneck

13/08/2018 - 04h05

Que a serra catarinense é conhecida pela produção de vinhos finos todo mundo já sabe. O que talvez possa ser novidade é que a cerveja artesanal conquista cada vez mais espaço entre os produtores da região. Em fase de crescimento, a fabricação se diferencia pelo uso de elementos típicos da Serra para fazer a bebida. Tem de vinho, maçã e até de pinhão. Anderson Fabiano Varela é um dos que se aventura utilizando o pinhão como ingrediente principal há 13 anos.  – O pinhão entra como um complemento na cerveja, ajuda na formação de uma espuma mais cremosa, dando um corpo mais aveludado ao líquido – explica Varela. A maioria das cervejas artesanais da Serra é produzida em outras cidades – são os chamados cervejeiros ciganos – mas a qualidade e a fartura de água na região motivou o empresário James Branco a investir no ramo. Segundo ele, o resultado da bebida depende, também, da água. São apenas oito meses fabricando o produto e ele já faz planos para o futuro. – Hoje a gente está com a produção média de seis a oito mil litros mês, e para o próximo ano, com a ampliação, a pretendemos aumentar em torno de 30 mil litros mês.   Leia outras publicações de Eduarda Demeneck

Continuar lendo
(Marcelo Pakinha, divulgação)

Maria Fumaça: uma viagem ao passado na Serra catarinense

Por Eduarda Demeneck

11/08/2018 - 06h00

Neste fim de semana, começam os passeios de Maria Fumaça em Lages. A locomotiva, que chega na região pela segunda fez, fica sediada em Rio Negrinho. Nela, durante cinco dias, os serranos poderão viajar ao passado. Com percursos pela manhã e à tarde, de 22 e 62 quilômetros, a locomotiva percorrerá o interior da região. Passando por locais onde o verde predomina, com matas de araucárias e paisagens de tirar o fôlego, tem como ponto de partida a estação do bairro Ferrovia, em Lages. A Maria Fumaça possui 10 vagões e capacidade para 400 passageiros por viagem. Os passeios serão realizados nos dias 11 e 12 (sábado e domingo), 15 (quarta-feira, feriado municipal – dia da padroeira de Lages), 18 e 19 de agosto (sábado e domingo). Para este primeiro fim de semana, os vagões já estão quase todos reservados. A expectativa é que durante o período sejam vendidos 4 mil bilhetes. A locomotiva a vapor (lenha) Mallet 204 foi construída nos Estados Unidos em 1950. O trem pesa 120 toneladas e foi totalmente reformado recentemente. Mesmo equipada com computador de bordo de locomotiva que permite o rastreamento via satélite, todas as características originais da Maria Fumaça foram preservadas após a reforma. No Brasil existem somente três máquinas deste modelo e pertencem à Associação Brasileira de Preservação Ferroviária Regional de Santa Catarina.    Leia outras publicações de Eduarda Demeneck

Continuar lendo
Exibir mais
Eduarda Demeneck

Eduarda Demeneck

Eduarda Demeneck

Os principais acontecimentos de Lages e região.

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Florianópolis
© 2017 NSC Comunicação
Florianópolis
© 2017 NSC Comunicação