publicidade

Navegue por

publicidade

Eduarda Demeneck

Eduarda Demeneck

Eduarda Demeneck

Os principais acontecimentos de Lages e região.

Eduarda Demeneck

Prefeito afastado reassume o cargo em Anita Garibaldi

Por Eduarda Demeneck

18/12/2018 - 05h00

Desde segunda-feira, o prefeito João Cidinei (PR), de Anita Garibaldi, voltou a ocupar o gabinete na prefeitura da cidade. Em agosto o político foi afastado do cargo pela Câmara de Vereadores, através de uma Comissão Parlamentar de Inquérito instaurada na época para apurar possíveis irregularidades na administração. Na última sexta-feira (14) o Tribunal de Justiça de Santa Catarina determinou que João Cidinei voltasse a ocupar o cargo de prefeito.Laboratório vai ajudar na especialização de vinhos em São JoaquimA decisão foi do desembargador Paulo Henrique Moritz Martins da Silva, segundo ele houve irregularidades no processo de Cassação, vereadores que apresentaram a denúncia não poderiam ter julgado o processo. O vice-prefeito Aires Tadeu Furtado (MDB) foi empossado em 23 de agosto. O TJSC também considerou o ato ilegal, tendo em vista que deveria ter ocorrido uma nova eleição, segundo o desembargador.Na época em que a CPI foi instaurada na Câmara de Vereadores da cidade, em junho, o prefeito era investigado por supostas irregularidades entre elas a compra de materiais sem licitação, aplicação de projetos sem passar pelo legislativo e desvio de funções na prefeitura. Por sete votos a dois o prefeito foi afastado do cargo. A votação aconteceu no dia 22 de agosto, depois da defesa do político. Leia também:“Os políticos precisam mudar”, defende o presidente do TRE-SC

Continuar lendo

Laboratório vai ajudar na especialização de vinhos em São Joaquim

Por Eduarda Demeneck

15/12/2018 - 05h00

No próximo ano os alunos do curso técnico de Viticultura, de São Joaquim vão começar as aulas com um novo suporte para a aprendizagem. Depois de quase nove anos em construção o Laboratório de Viticultura e Enologia está pronto. Localizado na EEB Manoel Cruz, ele dará suporte aos estudantes que poderão vivenciar na prática como é uma produção de vinhos, desde o momento em que a uva chega no laboratório para a vinificação até o engarrafamento da bebida.O prédio de dois andares entregue pelo governo do Estado conta com uma área para recepção da uva, filtração, fermentação alcoólica, engarrafamento do vinho, adega, laboratório de análises, salas de aula, de administração e de degustação. Além disso, a partir de 2019 a escola firmou parceria com o Instituto Federal de Santa Catarina que passa a oferecer o curso. Estudantes do segundo ano poderão se inscrever.O processo seletivo será aberto no ano que vem. A intenção é suprir a demanda que se está criando com a abertura de vinícolas na região, só em São Joaquim, são pelo menos oito. A construção recebeu o nome do ex-governador Luiz Henrique da Silveira e foi executada através da Secretaria de Estado da Educação, que aplicou R$ 549 mil e contou ainda com R$ 553 mil, do Fundo de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Leia também:Cresce consumo de vinhos orgânicos franceses

Continuar lendo
Parque Nacional de São Joaquim. Foto: Betina Humeres

Medida pretende reduzir área do Parque Nacional de São Joaquim

Por Eduarda Demeneck

14/12/2018 - 05h00

A Medida Provisória que trata da redução de três unidades de conservação do país (UCs), incluindo a do Parque Nacional de São Joaquim foi aprovada em uma rápida votação na quinta de manhã em Brasília, por meio de uma comissão mista do Congresso composta por deputados e senadores.  

Continuar lendo

Alunos da Serra estudam em contêineres improvisados

Por Eduarda Demeneck

13/12/2018 - 05h00

Os contêineres foram colocados pela prefeitura em 2014, na localidade de Avencal, interior de Correia Pinto. Na época, a intenção era que a estrutura improvisada fosse uma medida paliativa, mas já dura quatro anos. O educador que transformou Santa Catarina As três salas de aula, que abrigam 39 crianças do Pré ao Quinto ano são dentro de contêineres, em uma das salas é preciso dividir o espaço com a cozinha e o refeitório, até um botijão de gás fica dentro da estrutura. Na hora de aprender as crianças e os professores precisam lidar com a pequena estrutura e o calor. Nesta semana o número de estudantes era menor por conta do fim do ano letivo, mesmo assim alguns alunos ficavam praticamente amontoados no quadro. – No verão é quente, tem ventilador eu até coloco, mas eles reclamam porque daí voa a folha deles. A janela como eu abri agora porque eles saíram, mas quando eles estão eles reclamam por causa do sol, aí eu tenho que deixar fechada. – explica uma das professoras, Ana Aline Alvez da Luz. Sete em cada 10 idosos estão aposentados, aponta levantamentoA falta de espaço incomoda às crianças, uma delas conta que é preciso muito mais que concentração para aprender. – Bem apertado, bem calor, bem difícil de estudar aqui. às vezes um tem que ir ao banheiro e tudo e é bem difícil, tem que passar na frente quando a gente tá copiando. – comenta a estudante de 10 anos.A Secretaria de Educação diz que o terreno pertence ao Instituto Nacional de Reforma Agrária. E que o INCRA já estaria tentando fazer a transferência pra prefeitura construir uma nova escola, mas falta documentação. Segundo a secretária de educação de Correia Pinto, Cleomara Rodrigues os alunos vão ser transferidos para uma escola que fica a 3 km do local. Ela explica que só não fez isso antes porque a comunidade não queria. Leia também:São Joaquim é declarada Capital da Maçã

Continuar lendo
Prefeitura de Lages/Divulgação

Primeiro centro tecnológico de Santa Catarina fatura mais de R$ 2 milhões por ano

Por Eduarda Demeneck

12/12/2018 - 08h45

O Parque Órion, localizado em Lages foi o primeiro dos 13 Centros Tecnológicos a ser inaugurado no estado. Desde 2016 quando foi implantado vem mudando o cenário do setor de Tecnologia da Região. Hoje o local abriga 61 empreendedores e mais de 140 pessoas trabalhando nas empresas. São 80 colaboradores diretos com média salarial de R$ 2 mil, sendo que 78% possuem ensino superior completo e 22% estão em graduação. O local desenvolvido para ideias empreendedoras já tem 89% do espaço ocupado.“Aqui no Órion são utilizadas metodologias de nível mundial. O planejamento era lotar o prédio em cinco anos. Grande parte destas empresas nem existiam um ano atrás. Os resultados são ótimos neste curto prazo. Há trabalho a se fazer, por exemplo, a prefeitura está arruando a parte externa ao redor do prédio, estamos preparando o futuro. A missão é desenvolver uma cultura de empreendedorismo e de economia criativa na cidade e na região serrana” – explica o diretor executivo, Claiton Camargo.Por ano são mais de R$ 2 milhões de faturamento, mais de R$ 250 mil em impostos recolhidos e mais de R$ 650 mil investidos em pesquisa, desenvolvimento e engenharia não-rotineira. Lages aos poucos vem se destacando no setor tecnológico, no Sinapse da Inovação, por exemplo, que é um programa de incentivo ao empreendedorismo inovador e que oferece recursos financeiros para os empreendimentos, a cidade fica em 3º lugar no número de projetos cadastrados, são 11 empresas da Serra premiadas, com recursos de R$ 99 mil.

Continuar lendo

São Joaquim é declarada Capital da Maçã

Por Eduarda Demeneck

11/12/2018 - 04h00

Foi aprovado por unanimidade no Senado, o projeto (PLC 49/2017) que concede  à cidade de São Joaquim o título de Capital Nacional da Maçã. O município é o maior produtor da fruta em Santa Catarina. No estado, das 600 mil toneladas produzidas por ano, em média 400 mil toneladas saem da cidade serrana. São pelo menos, 1,8 mil agricultores na atividade.A expectativa dos produtores é que o título traga mais força na hora da reivindicação de direitos. Na safra passada, pro exemplo, os produtores dizem que foram bastante afetados com o preço da fruta, que estava muito baixo. Agora com o status de “ Capital da Maçã” a torcida é para que o produto seja mais valorizado no mercado. O projeto segue para sanção presidencial. Sindicato Rural pede o fim de processo contra produtores de Soja O pedido é para que o Superintendente do Ibama em Santa Catarina, Jorge Luiz Acioli, arquive todos os processos abertos com as notificações e suspenda todos os embargos movidos contra os produtos de Soja da Serra Catarinense.O documento foi encaminhado na última sexta-feira (7), nele o Sindicato Rural expõe a situação grave que os produtores podem ficar caso esses procedimentos sejam levados a diante. Há quase um mês 30 produtores rurais de Lages e Campo Belo foram notificados  na “Operação Campereando”, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), para que apresentem o mapa da área, o CAR (Cadastro Ambiental Rural) e autorização da Fátima, para a substituição da vegetação nativa para as lavouras de Soja.Mas, segundo os produtores na Legislação Estadual não existe a exigência de licenciamento ambiental para a produção de grãos. Por isso o sindicato vem tentando derrubar essa ação. Segundo a entidade, se for do interesse dos órgãos ambientais, em modificar a situação jurídica atual, que seja através de um trabalho de política ambiental; com debate público; criação normativa; educação ambiental; divulgação e concessão de prazo para adequação.Caso o procedimento seja levado adiante produtores terão que abandonar a produção, já que as multas passariam até mesmo o valor das próprias terras.  Leia também:SC foi responsável por 56% das exportações brasileiras de suínos em novembro

Continuar lendo

Mutirão zera fila de consultas oftalmológicas em Lages

Por Eduarda Demeneck

07/12/2018 - 05h00

A partir desta sexta-feira começa um mutirão para consultas e exames na especialidade de oftalmologia. A estimativa é que sejam realizadas cerca de 170 consultas por dia. O mutirão acontece até dia 19 de dezembro, totalizando duas mil. O atendimento retorna na segunda quinzena de janeiro, com a expectativa de atender mais quatro mil pacientes. Essa será a primeira vez, em dez anos que a fila de consultas para oftalmologia será zerada. Estarão em Lages uma equipe técnica, composta por médicos e enfermeiros, trazidos de Santo Amaro para participar do mutirão. Exames e procedimentos de alta complexidade serão encaminhados para Grande Florianópolis, no Hospital São Francisco de Assis.– A especialidade de oftalmologia é a nossa maior demanda, com média de mil pessoas por mês esperando por atendimento, e a nossa equipe não está dando conta de atender a todos, por isso a iniciativa de trazer médicos de fora – afirma a secretária da Saúde, Odila Waldrich.Os pacientes que aguardam por consultas oftalmológicas, devem atualizar seus cadastros com endereço e número de telefone nas Unidades Básicas de Saúde, pois o primeiro contato está sendo feito através de telefone. Primeira turma de polícia ostensiva rual é formadaDurante 10 dias policiais foram treinados e preparados para atuarem na segurança no campo. Eles passaram por aulas práticas e teóricas para atuarem na repressão e na prevenção de crimes na zona rural. A partir de agora os policias especialistas em segurança no campo estarão aptos ao combate de crimes rurais, como abigeato, roubo de insumos agrícolas e máquinas.– Ao investir em segurança no meio rural nós estamos garantindo a continuidade do funcionamento da nossa economia, que gera milhares de empregos, renda e oportunidades no nosso estado. Esse policiamento ostensivo no meio rural vai dar uma grande contribuição, porque a segurança é um fator decisivo para motivar as pessoas a permanecerem no meio rural – comenta o Secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Airton Spies.Essa é a primeira turma de polícia ostensiva a rural a se formar no estado. 24 policiais de todas as regiões catarinenses participaram do curso. Leia também:Aviões dispensados por Moisés são necessários para viagens urgentes 

Continuar lendo
Crédito: Divulgação

Irmãs lageanas são adotadas por famílias americanas

Por Eduarda Demeneck

06/12/2018 - 10h20

Quatro irmãs que estavam no abrigo de Lages foram adotadas por duas famílias que moram nos Estados Unidos. Recente as meninas de cinco, sete, nove e 15 anos viajaram para o novo endereço. Na chamada adoção casada ou compartilhada existe o compromisso de manter a relação entre os irmãos. Um dos casais ficou com a mais nova e a adolescente. A outra família, com as duas meninas do meio. Lá, eles devem possibilitar que elas convivam de alguma forma, seja mantendo contato por telefônico, troca de mensagens ou em encontros presenciais.“Como a ideia é sempre manter os irmão juntos, fizemos a busca por pretendentes que aceitassem principalmente a adolescente. Não havendo habilitados no Brasil, pedimos a ajuda da CEJA” (Comissão Estadual Judiciária de Adoção), conta a assistente social que participou do processo, Sumaya Dabbous 

Continuar lendo

Trabalhadores são resgatados em condições análogas à de escravos

Por Eduarda Demeneck

05/12/2018 - 05h00

O resgate aconteceu em uma operação do Ministério do Trabalho e Policiais Rodoviários Federais. 22 trabalhadores estavam em Bom Retiro para a colheita da cebola e se encontravam em condição análoga à de escravo. Todos estavam alojados em uma única casa com três quartos, sem condições de higiene e conforto.Segundo os auditores fiscais tinha lixo acumulado por todo o local e graves problemas de infiltração, a água da chuva invadia os cômodos e misturava-se com à sujeira, atingindo os colchões e pertences dos trabalhadores. Além disso, os 22 homens não tinham acesso a água potável e filtrada e as instalações sanitárias eram precárias. Todos eles foram recrutados no Estado do Piauí para prestar serviços aos produtores de cebola da região, sem prévia comunicação ao Ministério do Trabalho e sem Carteira Assinada.– Queriam sair do local, mas ao mesmo tempo não tinham dinheiro. Não tem correntes, mas estão presos a uma situação de superlotação, neste caso pela questão espacial. A distância é muito grande da moradia deles – explica o Chefe de Segurança e Saúde no Trabalho, Pedro Henrique Maglioni da Cruz.Os trabalhadores foram levados para um hotel na região, enquanto aguardam a conclusão dos procedimentos de resgate e o pagamento das verbas rescisórias. Já o aliciador e os produtores podem pagar multa e cair na lista suja do Ministério do Trabalho. O golpista foi ouvido pela polícia e deve responder por crime de aliciamento. A suspeita é que outros aliciadores estejam atuando na região.  Há denúncias de que trabalhadores estariam sendo pagos com drogas, especialmente crack, o Ministério do Trabalho apura essa situação. Leia também:Contrabando de cigarros: Estado tem prejuízo anual de R$ 84 milhões

Continuar lendo

Fiscalização com radar portátil começa a ser feita em Lages

Por Eduarda Demeneck

04/12/2018 - 05h00

Nessa semana começou a fiscalização com os radares portáteis nas avenidas e ruas de Lages, com a aplicação das autuações previstas no Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Os radares passaram por testes durante o mês de setembro, na época um motorista chegou a ser flagrado andando a 124 km/h, quando no local o limite máximo permitido é de 60 km/h. Desde o ano passado, as 67 lombadas eletrônicas que existem em Lages estão desativadas e por enquanto não tem prazo para voltarem a funcionar. Com isso, a Diretoria de Trânsito vai passar a usar os radares móveis nas seguintes avenidas: Belizário Ramos (Carahá), Santa Catarina, Juscelino Kubitschek, 1º de Maio e Antônio Ribeiro dos Santos. Os motoristas devem estar atentos ao limite de velocidade em cada via, que está entre 30 km/h e 80 km/h. O critério base para definição de limites de velocidade é o tipo da via.  Musical

Continuar lendo
Exibir mais
Eduarda Demeneck

Eduarda Demeneck

Eduarda Demeneck

Os principais acontecimentos de Lages e região.

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação