nsc
nsc

Alerta de Imunização

Febre Amarela: Sem leitos nos hospitais o alerta é para vacinação

Compartilhe

Eduarda
Por Eduarda Demeneck
15/03/2021 - 08h39 - Atualizada em: 15/03/2021 - 08h41
Neste ano, 64 macacos tiveram as mortes confirmadas por febre amarela em SC
Neste ano, 64 macacos tiveram as mortes confirmadas por febre amarela em SC (Foto: Regional de Saúde de Lages / Divulgação)

Em todo o estado 64 macacos já tiveram as mortes confirmadas por febre amarela em 2021. A maioria dos animais, foi encontrado na Serra Catarinense, foram 52 confirmações em nove munícipios serranos. Até então, a região não tinha registro da doença. Mas, segundo a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE), esse avanço da doença já era previsto desde 2019, por causa dos corredores ecológicos. E se têm macacos mortos ou adoecidos, tem vírus circulando, eles não transmitem a doença. A febre amarela é uma doença infecciosa, transmitida por um mosquito infectado com o vírus. Nos humanos também pode levar a morte. 

>>Decisão sobre restrições em SC: prazo para posição de juiz termina nesta segunda

O principal meio de prevenção é a vacina, que está disponível de graça nos postos de saúde. Mesmo assim, apenas 76% da população no estado estão imunizadas. A Serra é uma das que tem menor cobertura, só 63% dos moradores são vacinados contra a febre amarela. Pessoas acima dos nove meses até os 60 anos devem receber o imunizante. Em muitos casos, quem é diagnosticado com a doença precisa de leito hospitalar, ela pode evoluir para uma fase mais grave, e precisar de internamento na UTI. No momento que estamos vivendo sem leitos, o alerta é para que as pessoas se vacinem.

>>Última semana de verão terá calor em Santa Catarina

- O momento atual que nós estamos vivendo, com ausência de leitos de UTI as pessoas devem se prevenir o quanto antes. É uma doença grave, cuja assistência é somente através de suporte em leitos de UTI. Neste momento é prioritário que as pessoas estejam atentas a sua carteira de vacinação, estejam imunizadas contra a febre amarela. – comenta Renata Gatti, chefe de divisão do Programa Estadual de Vigilância da Febre Amarela.

O último boletim da Dive mostra que duas pessoas foram diagnosticadas com a febre amarela em Santa Catarina, neste ano. O primeiro caso foi em janeiro, uma moradora de Taió, no Alto Vale. O segundo foi de um morador de Florianópolis, que precisou de internamento hospitalar.

Veja também:

>>Motorista pendurado em caminhão na BR-101 relata pânico: "ele dizia que eu ia morrer"

>>Após perder o pai pela Covid-19, mulher é flagrada dando festa em SC

Eduarda Demeneck

Colunista

Eduarda Demeneck

Os principais acontecimentos de Lages e região.

siga Eduarda Demeneck

Eduarda Demeneck

Colunista

Eduarda Demeneck

Os principais acontecimentos de Lages e região.

siga Eduarda Demeneck

Mais colunistas

    Mais colunistas