nsc
    nsc

    Exportações

    Aurora suspende exportações da unidade de Xaxim para a China

    Compartilhe

    Estela
    Por Estela Benetti
    26/08/2020 - 16h25 - Atualizada em: 26/08/2020 - 17h29
    Na foto, a unidade principal da Aurora Alimentos, em Chapecó
    Na foto, a unidade principal da Aurora Alimentos, em Chapecó (Foto: Divulgação)

    Diante da repercussão de informação divulgada recentemente pelas autoridades municipais de Shenzhen, China, sobre traços de coronavírus em embalagem de frango que saiu da unidade de Xaxim, a Coopercentral Aurora Alimentos decidiu suspender voluntariamente as exportações desse frigorífico para o mercado chinês. A decisão da empresa foi comunicada à autoridade sanitária chinesa há uma semana e, agora, com a confirmação do recebimento por parte dos chineses, a empresa e o governo brasileiro estão tornando pública a decisão.

    > Painel do Coronavírus: veja em detalhes como foi o avanço da doença em SC

    Segundo a assessoria da Aurora, o objetivo é dar às autoridades chinesas tempo para fazer as avaliações necessárias numa situação de tranquilidade, sabendo que o país não está recebendo produto daquela unidade específica.

    A exemplo de outras decisões semelhantes de fornecedores de carnes ao mercado chinês, a cooperativa catarinense optou pela suspensão voluntária porque o mercado asiático, maior comprador de carnes de SC e do Brasil, faz questão de zero risco de Covid-19 em carnes.

    Além disso, a suspensão automática das vendas facilita a decisão dos chineses para eventual retomada de compras naquela unidade específica. A Aurora exporta para a China também por outras unidades de aves e suínos.

    > Em site especial, saiba tudo sobre o novo coronavírus

    A seguir, a íntegra do comunicado divulgado pela Aurora para explicar a decisão:

    Comunicado

    A Cooperativa Central Aurora Alimentos, reiterando seu compromisso com a verdade, a transparência e o respeito ao mercado consumidor, vem a público se posicionar em virtude das informações divulgadas, via imprensa, da ocorrência de detecção, por autoridades municipais de Shenzhen, na China, de traços de vírus (COVID-19) em embalagem de frango congelado importado do Brasil, a qual, supostamente, teria origem em indústria de sua propriedade, o que faz nos seguinte termos:

    (i) Inicialmente, esclarece a Cooperativa comunicante que trata-se, por ora, apenas de fato originário de notícia veiculada em imprensa local regional daquele país asiático, sem qualquer confirmação oficial por parte da autoridade pública nacional da China.

    (ii) Até o presente momento, conforme nota oficial divulgada pelo MAPA, não houve qualquer notificação oficial por parte das autoridades chinesas.

    (iii) Diante de tal insubsistência quanto ao ocorrido, a cooperativa signatária aguardará a devida manifestação por parte da autoridade pública competente, junto a qual esclarecerá os fatos e prestará as devidas informações a quem de direito.

    (iv) Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), não há evidências e nem comprovação científica de que ocorra contaminação a partir de alimentos ou embalagens de alimentos.

    Não obstante, informa a mesma que todas as medidas estabelecidas pelas autoridades públicas, relativas ao combate a pandemia, estão sendo integralmente seguidas e cumpridas, além da observância de um rigoroso protocolo individual, aprimorado continuamente, de cuidados com seus colaboradores e terceiros, o que tem sido constatado e confirmado pelas diversas fiscalizações dos entes públicos através das respectivas vigilâncias epidemiológicas.

    Salienta também, que o seu processo produtivo, desde o campo até a indústria, atende e cumpre com todas as normas legais vigentes e exigências sanitárias, o que se traduz numa reconhecida segurança alimentar e na garantia da qualidade de seus produtos.

    Chapecó-SC, 13 de agosto de 2020.

    Cooperativa Central Aurora Alimentos

    Mais colunistas

      Mais colunistas