nsc
nsc

Fintech promissora

Banco de condomínios de SC empresta mais de R$ 100 milhões e planeja ser unicórnio

Compartilhe

Estela
Por Estela Benetti
16/10/2021 - 12h12 - Atualizada em: 16/10/2021 - 12h13
Os cofundadores do CondoConta Igor Sempre Bom (E), Rafael Costa, Rodrigo Della Rocca, Atílio Borges e Marcelo Cruz
Os cofundadores do CondoConta Igor Sempre Bom (E), Rafael Costa, Rodrigo Della Rocca, Atílio Borges e Marcelo Cruz (Foto: Andrielli Minatti, Divulgação)

Apesar de ser reconhecida como polo de tecnologia, Santa Catarina ainda não tem um unicórnio, isto é, uma empresa do setor avaliada em US$ 1 bilhão. Mas a Fintech CondoConta, fundada em Florianópolis em 2019, que se apresenta como o primeiro banco do mundo especializado em condomínios e totalmente digital, acredita que poderá ser o primeiro unicórnio do Estado até o final de 2023. Atualmente, presta serviços financeiros para mais de mil condomínios no Brasil e soma mais de R$ 100 milhões em empréstimos.

> Saiba como receber notícias do NSC Total no WhatsApp

De acordo com o CEO e cofudador do CondoConta, Rodrigo Della Roca, o banco oferece serviços financeiros necessários aos condomínios e entrega uma contabilidade pronta para o administrador. Além de conta bancária, oferece o serviço de inadimplência zero ao financiar os condôminos devedores e dispõe de linhas de crédito para as demandas do setor. Os financiamentos mais procurados são para reformas e obras, instalação de usinas solares e de portaria remota.

Conforme Della Rocca, a decisão de abrir um banco para o setor partiu dele e do sócio Marcelo Cruz, que atuavam na gestão de condomínios. Tinham problemas porque os bancos tradicionais não queriam nem abrir conta corrente para esse segmento. Então, em 2017 decidiram começar a resolver as dores do setor fazendo empréstimos com recursos próprios e o negócio cresceu rápido.

- Os bancos tradicionais nunca entenderam as necessidades dos condomínios, por isso sempre foi muito difícil para os administradores do setor. As pessoas falam que ser síndico é horrível, é chato, é desgastante, e esse foi sempre um dos pontos que a gente se questionou. Por que, se o imóvel onde a pessoa mora é algo tão bom, isso é relacionado a coisas tão ruins, como sindicâncias, assembleias, vizinhos brigando? A gente percebeu que essa dor estava na falta de transparência, de acesso financeiro e de conhecer os recursos do condomínio – afirma Della Rocca.

Por isso a iniciativa de oferta de crédito deu certo. Ainda em 2019, a fintech decidiu desenvolver um aplicativo que foi lançado em 2020, logo após a pandemia estourar. O foco foi o mercado de Florianópolis, mas como os condomínios gostaram, a empresa decidiu colocar em lojas de aplicativos e liberar para todo o Brasil. Atualmente, a CondoConta atende mais de mil condomínios em 220 cidades de 25 estados do país.

Conforme Della Rocca, esse é um início, porque o mercado é muito maior. O Brasil tem 500 mil condomínios. Em Santa Catarina, segundo dados da Receita Federal, são aproximadamente 18 mil, a maioria na Grande Florianópolis, Joinville, Blumenau e Balneário Camboriú.

Oferta de imóveis novos cai 40% em Florianópolis e estoque baixo preocupa

Para se ter ideia do ritmo do setor, atualmente o banco digital praticamente triplica o número de clientes a cada trimestre. O crescimento de um ano para outro alcançou 1.067%. Essa expansão acelerada atraiu a atenção de investidores do Vale do Silício. O CondoConta é uma ‘one station’, empresa que mais recebeu investimento com menos de um ano de vida, conta o CEO. O fundo Redpoint e a aceleradora Darwin investiram R$ 6 milhões em março deste ano e, seis meses depois, o fundo colocou mais R$ 6 milhões. Além disso, estão entrando outros investimentos dos EUA. Por isso os sócios veem potencial para ser unicórnio.

- O CondoConta tem a sede em Floripa e a gente quer continuar aqui. Em abril, estávamos com equipe de 20 pessoas. Hoje, são 100. Contratamos uma média de 10 por mês. Muitas pessoas que contratamos de São Paulo e Curitiba, mesmo com a opção de trabalho remoto, preferiram vir morar em Florianópolis – afirma Della Rocca. 

São cinco os cofundadores do banco digital. Os manezinhos de Florianópolis são Della Rocca (CEO), Marcelo Cruz (COO) e Igor Sempre Bom (CXO). Atílio Borges (CFO) é gaúcho e Rafael Costa (VP de Tecnologia) é paranaense de Curitiba.

Novidade para novembro é a realização do CondoConta Summit 2021, dia 11. A expansão rápida também mostrou a necessidade de ampliar a difusão de informações para esse público. O evento será totalmente digital e entre os palestrantes confirmados estão o economista Ricardo Amorim, o filósofo Mário Sérgio Cortella e o empresário Júlio Paim, fundador do portal SíndicoNet, hoje ligado ao site QuintoAndar.

Planos diretores e regras ambientais limitam oferta de imóveis em SC, diz especialista

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Mais colunistas

    Mais colunistas