nsc
nsc

Financiamentos

BRDE solicita nova postergação de dívidas empresariais a financiadores

Compartilhe

Estela
Por Estela Benetti
24/03/2021 - 12h45 - Atualizada em: 24/03/2021 - 13h06
O diretor do BRDE, Vladmir Fay
O diretor do BRDE, Vladmir Fay (Foto: Jefferson Douglas, Divulgação)

Uma das alternativas de socorro financeiro mais adotadas durante a pandemia é a postergação de dívidas relativas a financiamentos de investimentos. Como a crise sanitária ficou mais grave, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) levou aos três principais financiadores da instituição – o Ministério do Turismo, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) a sugestão para que seja concedido mais um período de suspensão do pagamento de parcelas e outras exigências a financiamentos. Considerando atendimentos a empresas desde março de 2020, o BRDE já postergou R$ 115 milhões em SC.

BRDE projeta R$ 1,1 bilhão em crédito e postergações para SC este ano

O pleito é nova postergação de seis meses para prestações de contratos do Fundo Geral de Turismo (Fungetur), da linha de Renegociação Emergencial de Operações Indiretas Automáticas e também linhas de investimentos via Finep. No ano passado, essas instituições já fizeram postergações. Muitas empresas foram beneficiadas com duas postergações sucessivas.

Governo Moisés diz que ajuda a empresas superou R$ 1,4 bi em 2020 e que apoio vai continuar

O pedido do BRDE foi encaminhado pela presidente do banco, Leany Barreiro de Sousa Lemos e pelo diretor de Acompanhamento e Recuperação e Crédito, Vladimir Arthur Fey para os presidentes do BNDES e Finep, mais o ministro de turismo Gilson Machado Neto.

Na avaliação do diretor de Acompanhamento e Recuperação de Crédito do BRDE, Vladimir Arthur Fey, se esse pleito for atendido será mais uma ajuda emergencial do banco aos clientes. Segundo ele, desde o início da pandemia, mais de 1,3 mil empreendedores catarinenses, incluindo agricultores, foram beneficiados com postergação. Para o diretor financeiro do BRDE, Marcelo Haendchen Dutra, a opção dos empresários de buscar a postergação mostra que estão decididos a continuar seus negócios.

Segundo o BRDE, a liderança em volume postergado foi do Vale do Itajaí (R$ 24 milhões), seguida pelo Norte, com R$ 17,2 milhões, a Grande Florianópolis teve R$ 16,4 milhões e o Oeste R$ 14,7 milhões.

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Mais colunistas

    Mais colunistas