nsc
nsc

Energia elétrica

Celesc obtém lucro de R$ 199 milhões no trimestre, com alta de 38%

Compartilhe

Estela
Por Estela Benetti
07/05/2021 - 18h48 - Atualizada em: 07/05/2021 - 18h55
Sede da Celesc, em Florianópolis
Sede da Celesc, em Florianópolis (Foto: Diário Catarinense, BD)

O Grupo Celesc, que reúne atividades de distribuição, geração, a SCGas e outros negócios, fechou o primeiro trimestre do ano com lucro líquido de R$ 199,3 milhões, 38,3% superior ao do mesmo período de 2020. A receita líquida de vendas alcançou R$ 2,5 bilhões, o que representa crescimento de 19,6% ante a igual período de 2020. No balanço divulgado na tarde desta sexta-feira, o grupo informou que o resultado positivo aconteceu, principalmente, em função do crescimento do consumo de energia em 0,9% no trimestre, que somou 6.866 GWh no trimestre.

Celesc tem lucro de R$ 518,7 milhões em 2020, o maior da história da empresa

De acordo com a companhia, o total de unidades consumidoras alcançou 3,16 milhões, com acréscimo de 2,78% frente ao mesmo trimestre de 2020. A maior expansão na base consumidora foi na classe residencial, influenciada pelas novas demandas da pandemia. O consumo residencial cresceu 3,2%; de consumidores livres, 9,2%; e de suprimentos, 2,8%. O consumo industrial recuou -9,2%; o comercial -10,1% e o rural -8,2%.

O cenário difícil também impôs aumento de despesas em 18,7%, com influência maior no custo da energia comprada, uma parte em dólar da Itaipu. Mas a empresa também conseguiu conter as despesas gerenciáveis, o chamado PMSO (pessoal, material, serviços de terceiros e outras despesas), que ficou em R$ 189,3 milhões, 10,9% inferior ao do mesmo período do ano passado. O Ebitda, que representa o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, chegou a R$ 358,1 milhões, 24,9% superior aos mesmos meses do ano anterior.

Moisés confirma volta de secretários ao governo após impeachment dos respiradores

Investimentos somam R$ 153 milhões

O Grupo Celesc manteve o ritmo de investimentos. Foram R$ 153,2 milhões no trimestre, dos quais a maior parte, R$ 146,1 milhões, foi para a Celesc Distribuição que investiu em melhorias de serviços, linhas de distribuição, eficiência operacional e modernização da gestão. O sistema de distribuição recebeu R$ 65,5 milhões em todas as regiões do Estado. A empresa também adquiriu novos medidores de energia. As novas linhas em construção que receberam recursos foram a Tijucas-Porto Belo, Videira-Fraiburgo, a Tubarão-Sul e a subestação Camboriú. Para a geração, foram R$ 7,1 milhões.

E para atender os consumidores com tarifas em atraso, a Celesc passou a oferecer pagamento parcelado de faturas pelo cartão de crédito. Mas esse benefício, por enquanto, é somente para pagamentos feitos em uma das cerca de 80 lojas da empresa nas várias regiões do Estado.

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Mais colunistas

    Mais colunistas