nsc
nsc

EDUCAÇÃO E CULTURA

Economista Maílson da Nóbrega colabora com projetos do Musicarium de Joinville

Compartilhe

Estela
Por Estela Benetti
02/08/2022 - 18h52 - Atualizada em: 02/08/2022 - 19h42
Daniel Machado, Divulgação
O empresário Ernesto Heinzelmann, o econmista Maílson da Nóbrega e o maestro Sergio Ogawa no Musicarim, em Joinville (Foto: Daniel Machado, Divulgação)

Além das atividades de economista e sócio da Tendências Consultoria, o ex-ministro Maílson da Nóbrega colabora para o projeto do Musicarium Academia Filarmônica Brasileira, de Joinville. Na terra do maior festival de dança do mundo e da única filial do Ballet Bolshoi, avança projeto de música com colaboração de empresas e pessoas que inclui a construção de um centro de R$ 100 milhões. Como presidente do Conselho de Embaixadores do Musicarium, Maílson ajuda fazer contados para viabilizar doações via leis de incentivo à cultura.

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Neste sábado, o economista esteve em Joinville onde, acompanhado do presidente do conselho de administração do Musicarium, Ernesto Heinzelmann, e do maestro e diretor-presidente da instituição, Sergio Ogawa, acompanhou o concerto de encerramento do Festival Internacional de Inverno Musicarium.

O economista assumiu o desafio de apoiar a captação de recursos para construir a sede do Musicarium, que terá uma academia de música e um Concert Hall para público interno e externo. O plano dos empreendedores é finalizar o projeto até 2030.

A nova sede será em terreno de 5 mil metros quadrados no bairro Cidades das Águas, doado pelo Instituto Carlos Roberto Hansen, o braço social do Grupo CRH, dono da Tigre e de outras empresas. O projeto prevê oferecer formação musical para até 600 alunos com idade de 4 a 17 anos, a maioria de escolas públicas. Na sede atual são 150. Em um turno eles estudam e no outro aprendem música entre instrumentos como oboé, violoncelo, violino, flauta, clarinete, trompa e fagote.

Fundado em 2017 pelo Instituto Core, o Musicarium visa formar músicos e também constitui a primeira orquestra filarmônica da Região Sul. Atualmente, seus alunos integram a Orquestra Infantojuvenil e a Orquestra Jovem, que se apresentou sábado. 

O empresário Ernesto Heinzelmann destaca que, além de estudarem música, os alunos aprendem o significado e a necessidade de dedicação, comprometimento, trabalho em equipe e aperfeiçoamento contínuo, que levarão para a vida pessoal e profissional.

Realizado de 21 a 30 de julho, o festival de inverno contou com 23 professores, dos quais 13 vieram do exterior. Ministraram mais de 100 horas de aulas com os diversos instrumentos. Além do centro moderno para a instituição, o plano do Musicarium é formar a primeira orquestra filarmônica da Região Sul.

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Mais colunistas

    Mais colunistas