nsc
nsc

Ciência e Tecnologia

Ênfase em inovação e investimento 245% maior marcam os 25 anos da Fapesc

Compartilhe

Estela
Por Estela Benetti
08/01/2022 - 15h47
Presidente da Fapesc, Fábio Zabot Holthausen
Presidente da Fapesc, Fábio Zabot Holthausen (Foto: Fapesc, Divulgação)

A Fundação de Amparo à Ciência, Tecnologia e Inovação de Santa Catarina (Fapesc) chega aos 25 anos neste domingo (9 de janeiro) repleta de desafios. Fundada em 1997 pelo governo do Estado para incentivar a ciência e a tecnologia, em 2012 ela recebeu também a atribuição de apoiar a inovação. De acordo com o presidente Fábio Zabot Holthausen, a fundação segue com a função de apoiar a ciência, a pesquisa básica e aplicada, mas tem dado mais ênfase à inovação como processo e resultado.

Essa atenção para inovação inclui incentivo à geração de novas startups e novos empreendimentos, como os centros de inovação em todo o Estado. Em 2021, a Fapesc viabilizou investimentos de R$ 153 milhões, 254% mais do que os R$ 44,456 milhões do ano anterior. Os recursos são para editais voltados a universidades, estudantes, startups e empresas.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Centros de inovação

A Fapesc é apoiadora do programa dos 15 centros regionais de inovação, que é uma política de Estado. Esses centros são desenvolvidos com a participação da tríplice hélice: setor público, setor privado e instituições de ensino e pesquisa. O primeiro foi inaugurado em Lages em junho de 2016 e, atualmente, são nove já implantados.

Os próximos a serem inaugurados serão o de Tubarão, em fevereiro ou março, e o de Itajaí, até meados do ano, adianta o presidente da Fapesc, Fábio Holthausen.

- A ideia é que a gente continue apoiando muito os centros de inovação, a formação das regiões através da inovação, e a integração, empresa, governo e academia, gerando desenvolvimento para a sociedade – explica o presidente da Fapesc.

Mais dinheiro ao setor

A falta de recursos orçamentários para investir em pesquisa, desenvolvimento e inovação sempre foi uma queixa dentro e fora de governos em Santa Catarina. Mas, agora, com mais recursos em caixa, Fábio Holthausen conta porque está conseguindo mais verbas.

- Quando comecei a mostrar, dentro da Fapesc, o que era possível fazer com o recurso público que a gente tinha disponível, que era pouco em 2019, a gente começou a chamar a atenção não só do mercado, mas também do governo sobre os resultados que estávamos dando à sociedade quando se aplicava dinheiro em pesquisa, fomento a novas startups e assim por diante. Então, o aumento de recursos foi uma consequência. Quando eu falava com o governador Carlos Moisés sobre um projeto que necessitava de investimentos, ele já sabia do que se tratava – explica Holthausen.

Universidades e startups

A Fapesc também encerrou 2021 com recorde em chamadas públicas, totalizando 50 editais. Na opinião do presidente da instituição, Fábio Holthausen, foi possível olhar para todos os atores do ecossistema de inovação do Estado. Ele destaca o programa de R$ 56 milhões para a formação de mestres e doutores em SC. É um programa de quatro anos, mas que vai colaborar para o desenvolvimento de SC por 10 anos, avalia ele. 

O apoio a startups é viabilizado por meio do Programa Nascer, em parceria como Sebrae/SC, que tem mais de 350 empreendedores trabalhando seu modelo de negócio. A Fapesc também apoia 28 incubadoras no Estado, núcleos de inovação tecnológica de universidades que incentivam startups e outro programa de empreendedorismo em universidades.

Referência nacional

Um destaque nacional da Fapesc nessa trajetória de 25 anos foi o programa Sinapse da Inovação, lançado em 2008, que gerou mais de 500 novos negócios do Estado e inspirou a criação do atual programa nacional Centelha, pelo Ministério da Ciência e Tecnologia e a Finep. Ele impulsiona empresas inovadoras em todo o país e está com inscrições abertas atualmente. 

O Sinapse foi criado em parceria com a Fundação Certi, que também foi convidada e implantou programas semelhantes no Amazonas e Espírito Santo. A Fapesc também realiza o Prêmio Stemmer de Inovação Catarinense, que distingue projetos inovadores de empresas de todos os portes.

Curtas

Para marcar os 25 anos da Fapesc, a fundação lançou projeto de 25 livros, que vão contar cada ano da trajetória da instituição.

Com o propósito de fortalecer a cultura da inovação e tecnologia no Estado, a Fapesc vai lançar sua revista, que divulgará ações próprias e também do ecossistema de inovação de SC.

Leia também

Consumo de gás veicular cresce 13% em 2021 e frota chega a 112 mil veículos em SC

Perdas agrícolas com a seca superam R$ 1,5 bilhão em SC e ministra vem ver situação

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Mais colunistas

    Mais colunistas