nsc
nsc

Balança comercial

Exportações de SC crescem 31% em julho e os EUA são o principal mercado

Compartilhe

Estela
Por Estela Benetti
10/08/2021 - 19h29 - Atualizada em: 12/08/2021 - 12h52
Porto de Itapoá, no litoral Norte de Santa Catarina
Porto de Itapoá, no litoral Norte de Santa Catarina (Foto: Divulgação)

Santa Catarina fechou julho com receita de US$ 952,14 milhões nas exportações, 31,1% mais do que no mesmo período de 2020 e alta de 2,4% frente ao mês anterior. Os Estados Unidos responderam pela maior parte do faturamento lá fora, com US$ 206,9 milhões. As importações de SC somaram US$ 2,070 bilhões, uma alta de 93,5% frente ao mesmo mês de 2020.

Receba as principais informações de Santa Catarina pelo Whatsapp

Os dados da balança comercial catarinense são divulgados pelo Observatório Fiesc, da Federação das indústrias do Estado, que chama a atenção para melhoria no perfil das vendas aos EUA. Apesar de a liderança para aquele mercado ter sido de produtos de madeira e móveis, que responderam por 58,7% do total no mês, itens mais tecnológicos, como autopeças e equipamentos elétricos, também tiveram alta. Isso é impacto direto da retomada econômica americana na indústria catarinense, na avaliação da Fiesc.

Apesar desse destaque aos EUA, o forte das vendas externas catarinenses seguiu com as agroindústrias de proteína animal, que faturaram mais de US$ 300 milhões. As carnes de aves alcançaram receita de US$ 148 milhões, 54% mais do que no mesmo mês de 2020. Em segundo lugar ficou a carne suína, com US$ 127 milhões, 29,6% mais frente a julho do ano passado. A soja, outro produto do agronegócio com forte impacto na movimentação de cargas em SC, teve retração de 115,2 mil toneladas no mês frente a 2020, o que levou a redução de 30,6% na receita.

Depois dos EUA, onde SC registrou alta de 78,5% do faturamento, veio a China, onde as vendas somaram US$ 165,6 milhões com recuo de 3,9% frente ao mesmo mês de 2020. Na sequência veio a Argentina, com US$ 52,7 milhões e alta de 69,54%, e o Chile, que comprou US$ 45,8 milhões, 107% mais.

Do total de US$ 2,07 bilhões de importações, a maioria foi matéria-prima para a indústria. O principal produto é o cobre, que vem do Chile e somou US$ 80 milhões em julho, com aumento de 230% em valores financeiros. Outro destaque está ligado à pandemia: a importação de luvas hospitalares. SC comprou em julho US$ 45,2 milhões desse item e o principal fornecedor foi a Malásia.

Outro grupo de produto mais importado foi o de fertilizantes nitrogenados, com alta de 122,8% em relação ao mesmo mês de 2020. Dos EUA, SC comprou mais polímeros de etileno e automóveis.

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Mais colunistas

    Mais colunistas