nsc
nsc

Banda larga veloz

Intelbras e Qualcomm desenvolvem produtos em conjunto para tecnologia 5G

Compartilhe

Estela
Por Estela Benetti
24/08/2021 - 08h37 - Atualizada em: 24/08/2021 - 09h24
Altair Silvestri, CEO da Intelbras, anuncia investimento de R$ 150 milhões em 5G
Altair Silvestri, CEO da Intelbras, anuncia investimento de R$ 150 milhões em 5G (Foto: Divulgação)

A catarinense Intelbras e a multinacional americana Qualcomm anunciam parceria para o desenvolvimento conjunto de soluções para a instalação de comunicação 5G no Brasil. A iniciativa visa suprir a demanda de operadoras e provedores de internet no Brasil, que deve fazer leilão das frequências para a tecnologia em breve. A Intelbras está investindo R$ 150 milhões para esse projeto durante cinco anos, a maior parte em unidade de São José, na Grande Florianópolis, que vai gerar 200 postos de trabalho diretos, informa o CEO da companhia, Altair Silvestri.

> Receba as principais informações de Santa Catarina pelo Whatsapp

O primeiro produto será uma CPE FWA (Fixed Wireless Access) com 5G e Wi-Fi 6, que poderá ser usado para diversas redes residenciais e empresariais. Os CPE (Customer Premises Equipment) são dispositivos que fazem a conexão de acesso à internet banda larga a uma casa, escritório ou outros locais, também chamado de modem ou roteador.

Com o acordo plurianual, a Intelbras é a primeira empresa brasileira a avançar em direção ao desenvolvimento local de soluções e à integração na cadeia mundial de produção do 5G, tornando o Brasil parte importante do setor produtivo para a quinta geração de conectividade.

- Estamos, mais uma vez, na vanguarda da tecnologia, antecipando o leilão que ainda não saiu e nada melhor do que estar ao lado de um líder mundial em tecnologia mobile como a Qualcomm, que há tempo nos apoia em outras tecnologias. Vamos fornecer para o Brasil as tecnologias necessárias para essa virada, esse novo mercado de soluções, de flexibilidade, velocidade e aplicações que o 5G vai nos possibilitar – afirma Silvestri.

O leilão da tecnologia 5G no Brasil está previsto para outubro e se essa data for cumprida algumas operadoras que já anteciparam instalações tecnológicas poderão começar a fornecer a nova internet ultrarrápida ainda em dezembro deste ano. Mas o leilão vai prever a implantação do serviço em prazo maior no país, em 300 dias (10 meses), observa o CEO da Intelbras. Segundo ele, a fabricação dos CPEss na empresa vai começar no ano que vem. Esses produtos, além de atender o mercado nacional, poderão ser exportados.

Para o presidente da Qualcomm para a América Latina, Luiz Tonisi, esse projeto é um marco porque será o primeiro dispositivo 5G desenvolvido no país com tecnologia nacional.

- Essa é uma corrida de 100 metros que começa agora. Devemos ver algumas redes na faixa de 3,5 GHz no final deste ano, dependendo da operadora, mas a massificação do serviço 5G deve começar em 2022. Estamos trabalhando com um time forte e vamos desenvolver juntos um produto muito adequado ao nosso mercado– explica Tonisi.

Luiz Tonisi, CEO da Qualcomm, avalia que o produto será adequado ao mercado brasileiro
Luiz Tonisi, presidente da Qualcomm para a América Latina
(Foto: )

Conforme o executivo, o produto que está sendo desenvolvido pela Intelbras e Qualcomm é um CPE dos mais avançados do mundo, que comporta as tecnologias 5G e Wi-Fi 6. Faz agregação de portadoras, permite conectar vários dispositivos e pode suportar tecnologias futuras. Apesar de ser uma tecnologia avançada, segundo Luiz Tonisi, será fácil instalar e usar. O novo CPE poderá ser usado, por exemplo, na residência, casa de praia e sítio ou em escritórios, basta ter sinal 5G. Ele substitui a conexão de internet via fibra ou cabo. Pela eficiência da tecnologia, até está sendo chamada de fibra pelo ar.

Tecnologia 5G pode estrear no Brasil no Natal, prevê setor de telecom

A Intelbras, com as soluções da Qualcomm Technologies, produzirá soluções 5G FWA, que fornecerá conectividade de alta qualidade, velocidade e latência semelhantes à fibra óptica, sem a necessidade de cabeamento. A tecnologia 5G FWA vem sendo chamada de Fiber Through the Air (Fibra pelo Ar), a qual proporcionará a oferta de serviços avançados para residências e escritórios como, por exemplo, streaming de vídeo em 4k/8k, dispositivos de internet das coisas (IoT), jogos online com baixíssima latência, aplicações de realidade virtual, entre outros. Os produtos devem estar disponíveis a partir de 2022.

Em se falando de tecnologia, o custo ao consumidor é sempre relevante. Em função disso, o CEO da Intelbras antecipou que a empresa procurará tornar o produto o mais acessível possível, para que todas as classes sociais consigam adquirir.

O 5G também é considerado uma oportunidade para ampliar o acesso à internet veloz a mais famílias no país. Tonisi lembra que o Brasil tem 74 milhões de domicílios, dos quais apenas 37 milhões têm acesso a banda larga. Isso significa que pelo menos 50% dos domicílios ainda precisam de conexão, o que é um grande mercado. A cobertura 5G, no longo prazo, deve ser maior do que o 4G.

Essa iniciativa das duas empresas também é acompanhada com atenção pelas lideranças da área de comunicação do país. Um dos que avaliaram como positiva a colaboração entre a Intelbras e a Qualcomm foi o Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes. Segundo ele, essa iniciativa é excelente para o Brasil porque coloca o país na vanguarda da transformação digital nessa evolução do sistema de expansão do 5G no Brasil. Recentemente, a Intelbras recebeu visita de lideranças da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) para falar sobre desenvolvimento de produtos ao 5G.

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Mais colunistas

    Mais colunistas