Em um ano de mercado pressionado, a Irani Papel e Embalagens, que tem fábrica no Oeste de Santa Catarina, encerrou 2023 com lucro líquido de R$ 383,4 milhões, 1,4% mais do que no ano anterior. A receita líquida da companhia alcançou R$ 1,594 bilhão no mesmo período, 5,5% inferior à de 2022. A margem ebitda seguiu na média de 30,8%.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp 

A receita líquida teve impacto devido à redução de volume e também de preços nas linhas de produtos como papéis para embalagens sustentáveis e de resinas sustentáveis (breu e terebintina), explicou o diretor de Administração, Finanças e de Relações com Investidores da empresa, Odivan Cargnin.

Segundo ele, o ano de 2023 foi marcado pela retomada mais intensa no consumo de serviços e experiências fora de casa. Isso reflete diretamente na demanda por embalagens em função da redução de vendas por delivery.

No quarto trimestre, a Irani registrou lucro líquido de R$ 7,1 milhões frente a R$ 85,9 milhões nos mesmos meses de 2022. Os motivos principais foram a redução do lucro operacional pela variação de valor de ativos biológicos e o reconhecimento de impairment (baixa contábil não recorrente) relativa a prioridades para investimentos.

Continua depois da publicidade

Leia também

Com R$ 1,2 bilhão em projetos, construtora lança empreendimento na cidade que mais cresce em SC

“BRDE oferece soluções que vão além de operações de crédito”, diz presidente do banco

Destaques do NSC Total