O governador Jorginho Mello falou nesta quarta-feira (10), pela primeira vez, sobre a desistência do filho Filipe Mello de assumir a secretaria da Casa Civil. Foi antes da reunião do colegiado do governo, na sede da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), quando empossou novos secretários, presidentes de empresas e de cargos na área de segurança. Em entrevista coletiva, o governador disse que o filho não precisa de emprego e que a desistência foi para não criar polêmica.

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do NSC Total pelo Google Notícias

Questionado pela primeira vez, o governador disse que a situação da Casa Civil seria resolvida em poucos dias e seguiu falando das mudanças, citando os nomes dos novos ocupantes de cargos no governo. Depois, questionado novamente, ele comentou mais sobre a decisão e criticou a oposição.  

– Primeiro, o Filipe não precisa de emprego. Ele sempre me ajudou e vai continuar ajudando. Eu sou um homem muito feliz em ter dois filhos bem realizados. É por isso que eu lutei tanto pela Universidade Gratuita, para dar às pessoas a possibilidade de ter autonomia na sua vida. É o caso dos meus dois filhos. É por isso que eu quero que os catarinenses tenham chances de estudar e se fortalecer, se qualificar, assumir uma profissão que gosta e poder ter sucesso. Então, ele é um bom advogado, tem seu escritório. O Bruno é dentista. Os dois me ajudam, são meus confidentes, enfim, vida que segue. Eles vão continuar me ajudando. Sempre me ajudaram. Só que, para que criar polêmica? O governo está voando baixo, o governo está tendo entrega. Para que dar margem para alguma oposição boca torta, que talvez encoste um filho para ganhar uma boquinha. A gente não precisa disso, graças a Deus! Tenho dois filhos maravilhosos que fazem parte integrante da minha família e do meu governo – afirmou Jorginho Mello.

Sobre as prioridades para este ano, o governador disse que o objetivo é seguir investindo em infraestrutura, saúde, educação e demais áreas. Informou que pediu nesta quarta-feira aos secretários para que cada um faça uma projeção dos trabalhos para os próximos seis meses. Informou também que o governo vai iniciar nos próximos dias o programa Recupera Mais, um refis para devedores de ICMS pagarem débitos com descontos em até 72 vezes.

Continua depois da publicidade

Veja os novos nomes que assumiram no governo de SC:

– Ciasc – Centro de Informática e Inovação de Santa Catarina – Moisés Diersmann*

– Secretaria de Estado da Administração – Vânio Boing

– SCPAR – SC Parcerias S/A – Renato Dias Marques de Lacerda

– Secretaria de Estado da Comunicação – João Paulo Gomes Vieira

– Iprev – Instituto de Previdência de Santa Catarina – Mauro Luiz de Oliveira

– CBMSC – Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina- Coronel BM Fabiano Bastos das Neves
– Secretário de Estado da Proteção e Defesa Civil – Coronel BM Fabiano de Souza

– Secretaria de Estado da Segurança  Pública – Deputado Carlos Henrique de Lima

Leia também

Senado busca solução negociada para manter a desoneração da folha

Arrecadação de SC soma R$ 45,8 bilhões em 2023 e alcança projeção do governo

Conselho de contabilidade de SC reelege pela primeira vez uma presidente

Qualidade da educação deve ser tema principal na sucessão municipal

Destaques do NSC Total