nsc
nsc

Sustentabilidade

Logística reversa: Florianópolis vai reciclar 100% dos eletros usados

Compartilhe

Estela
Por Estela Benetti
30/07/2021 - 17h25 - Atualizada em: 30/07/2021 - 17h32
Trabalhadores a Comcap coletam uma máquina de l
Trabalhadores da Comcap coletam uma máquina de lavar (Foto: Comcap, Divulgação)

A prefeitura de Florianópolis fez acordo com a Associação Brasileira de Reciclagem de Eletroeletrônicos e Eletrodomésticos (Abree) para certificar programa com 100% de reciclagem dos eletros descartados no município após o uso. A Capital já realiza a reciclagem de eletroeletrônicos, que soma uma média de 5 toneladas por mês. O novo plano inclui os eletrodomésticos da linha branca, o que significa volumes maiores.

Esse recolhimento de eletrônicos com reciclagem é desenvolvido há mais de cinco anos em Florianópolis numa parceria entre a Comcap (empresa de coleta e tratamento de resíduos do município), Comitê para a Democratização da Informática (CPDI-SC) e a empresa Weee.do, da Capital, que atua com manufatura reversa de eletroeletrônicos descartados.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Com a decisão de incluir os eletros da linha branca nessa logística reversa, Florianópolis passará a reciclar 100% dos aparelhos que funcionam com energia elétrica, informa o engenheiro da Superintendência de Gestão de Resíduos Sólidos (Smma), Wilson Cancian Lopes.

A reciclagem de produtos da linha branca é positiva porque parte deles tem gases poluentes que podem prejudicar a camada de ozônio. De acordo com o engenheiro sanitarista e cofundador da Weed.do Mark Rae, Florianópolis tem 25 pontos para entrega voluntária de resíduos eletrônicos. A empresa foi contratada pela Abree para fazer a logística reversa também dos eletrodomésticos. A Comcap contará com cinco pontos específicos para receber eletrodomésticos, um em cada região da cidade, incluindo Centro, continente, Norte e Sul da Ilha de SC. Além disso, a companhia está aceitando agendamento para retirar itens da linha branca.

Com esse novo passo, Florianópolis entra no grupo seleto de capitais que dão maior atenção ao destino do lixo e seus impactos. Algumas empresas já fazem logística reversa há mais tempo em Santa Catarina. Um exemplo e da Termotécnica, de Joinville, que fabrica itens de EPS (Isopor). Ela recolhe parte do isopor usado que vai para o lixo. A Whirlpool, fabricante de eletrodomésticos em Joinville, também faz logística reversa. 

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Mais colunistas

    Mais colunistas